PUBLICIDADE
Topo

Caetano: situação atual do Brasil é 'diferente, mas parente' da ditadura

Caetano falou sobre as semelhanças do momento atual do Brasil com a ditadura militar - Pedro Gomes / Redferns
Caetano falou sobre as semelhanças do momento atual do Brasil com a ditadura militar Imagem: Pedro Gomes / Redferns

Do UOL, em São Paulo

07/08/2020 11h15Atualizada em 07/08/2020 12h56

Caetano Veloso acredita que a situação atual do Brasil é "muito diferente", mas tem "elementos parentes ou descendentes" dos que causaram a ditadura militar. O ícone da MPB apareceu no "Encontro com Fátima Bernardes" de hoje, em entrevista comemorando seus 78 anos.

É uma situação muito diferente, porém os elementos que levaram a isso são parentes, são descendentes -- os fatores que levaram ao golpe de 1964, e depois aos 'super-golpe' de 1968, quando entrou o AI-5. Há uma questão da formação do Brasil, uma questão profunda. É um país de história colonial, e teve o seu crescimento, desenvolvimento, alicerçado na escravidão
Caetano Veloso

Caetano também falou sobre o documentário "Narciso em Férias", que foi selecionado para o Festival de Veneza e traz o cantor refletindo sobre sua prisão na época da ditadura. Ele revelou qual parte da entrevista para o filme mais o tocou.

Tudo é doloroso naquele episódio. [...] O momento que me levou mesmo a chorar, a ter que parar a gravação, foi quando lembrei de um sargento que propiciava meus encontros com Dedé [Gadelha], com quem eu era casado. Ela podia me ver fora da grade. Me doeu não me lembrar o nome dele. Porque ele, passando risco, arrumava um jeito de eu ficar sozinho com Dedé, que não era permitido. Ele foi preso por ter me ajudado

Envelhecimento e netos

Caetano Veloso é entrevistado por Fátima Bernardes no 'Encontro' - Reprodução/Globoplay - Reprodução/Globoplay
Caetano Veloso é entrevistado por Fátima Bernardes no 'Encontro'
Imagem: Reprodução/Globoplay

Em outra parte da entrevista, o cantor falou sobre como sente muita curiosidade sobre os efeitos do envelhecimento. "Me sinto essencialmente a mesma pessoa de sempre, desde que me lembro. [...] Então, as coisas que vão mudando com envelhecimento me interessam como coisas para observar", disse.

A vida em família é o que mais alegra Caetano hoje em dia. Ele falou, por exemplo, das brincadeiras com o neto, Benjamin.

Eu sinto muita felicidade, porque ele é muito lindo, o jeito dele. Eu brinco com ele, e ele reage, até repetindo os sons que a gente está falando. Eu brinco: 'Menino, você tem 2 meses! Com 2 anos vai fazer uma palestra'

Vovô @caetanoveloso cantando pra Benjamim ! Paixão total ??

Uma publicação compartilhada por Paula Lavigne (@paulalavigne) em