PUBLICIDADE
Topo

Música

Caetano Veloso chama governo de 'pesadelo' e Bolsonaro de 'incompetente'

Caetano Veloso falou sobre o governo Bolsonaro em entrevista ao jornal inglês The Guardian - Pedro Gomes / Redferns
Caetano Veloso falou sobre o governo Bolsonaro em entrevista ao jornal inglês The Guardian Imagem: Pedro Gomes / Redferns

Do UOL, em São Paulo

29/07/2020 09h18

Fazendo paralelos com o período da ditadura militar no Brasil, Caetano Veloso falou sobre o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) em entrevista ao jornal inglês The Guardian.

Ao afirmar que teme que o "grupo ultrarreacionário" do presidente não desista facilmente do poder, Caetano disse que os últimos meses no país têm sido "um pesadelo absoluto. É apenas loucura."

"Ter um governo militar é horrível e Bolsonaro é tão confuso, tão incompetente. O governo dele não fez nada", acrescentou.

Apesar de todas as diferenças entre o presente democrático e o passado ditatorial do Brasil, para Caetano, o país tem muitas pessoas semelhantes ao presidente.

"Você não pode dizer que Bolsonaro não é o Brasil", afirmou. "Ele é muito parecido com muitos brasileiros que eu conheço. Ele é muito parecido com o brasileiro médio - na verdade, a capacidade dele e de seu bando de permanecer no poder depende de enfatizar essa identificação com o brasileiro 'normal'", completou.

Sobre as ações de Bolsonaro desde a sua posse, em 1º de janeiro de 2019, o músico não vê nada além de "insanidades".

"O que o executivo brasileiro fez no período desde que ele foi presidente? Nada... Não houve governo - apenas uma raquete de insanidades", considerou.

"O que vimos tem sido mais sobre destruição", disse ele. "Nossas florestas, nossas músicas, nossas peças e nossos filmes estão sendo ameaçados por esse governo - e estão em processo de destruição. Mas, como um dos membros do grupo que produz música popular, posso garantir que estamos aqui - o Brasil está aqui."

Questionado sobre a pandemia do novo coronavírus e como o Brasil tem lidado com a doença, Caetano citou o diagnóstico positivo de Bolsonaro para exemplificar a postura do país.

"É bestial - e o presidente mantém sua posição, mesmo tendo sido infectado. Ele nem se comportou como Boris Johnson, que mudou de tática depois de ser infectado", afirmou.

Segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, o Brasil teve 921 mortes causadas pela covid-19 nas últimas 24h. Com isso, o total de vítimas da doença causada pelo novo coronavírus no país chegou a 88.539.

Exílio em Londres

Durante três anos do período da ditadura militar, Caetano, acompanhado de Gilberto Gil, ficou exilado em Londres. Para o músico, a cidade britânica fazia parte de "outro planeta".

"Demorei um pouco para começar a gostar de Londres", contou. "Era quase como se eu estivesse indo para outro planeta, uma tribo diferente, uma cultura e um jeito de ser diferentes", completou Caetano.

No entanto, agora Caetano Veloso não vê a escalada "antidemocrática" no Brasil dos bairros de Chelsea e Golders Green, mas sim na "fileira da frente" de seu apartamento no Rio de Janeiro, como aponta o The Guardian.

Música