PUBLICIDADE
Topo

Mano Brown elogia união de torcidas em atos: 'Melhor coisa que aconteceu'

Mano Brown e Thaíde de máscara em protesto em São Paulo, no dia 7 de junho  - Reprodução/Instagram
Mano Brown e Thaíde de máscara em protesto em São Paulo, no dia 7 de junho Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

24/07/2020 15h09

Mano Brown deu sua letra sobre os protestos de maio e junho, que levaram milhares às ruas em defesa da democracia e contra o racismo. Ele elogiou a união das torcidas de futebol, algo antes impensável nos estádios e que deu início a uma série de atos.

Foi a melhor coisa que aconteceu... Nessa fase do começo de ano, nessa quarentena, nos movimentos sociais, foi a união das torcidas em torno de um bem comum e um bem maior"

O rapper do Racionais MC's falou isso ao também ícone das rimas Thaíde, que apresenta o podcast Meu Nome é Correria.

"Isso demorou de acontecer", avalia Brown, que destaca a responsabilidade dos líderes de torcida. "Se você junta paixão, fanatismo e uma palavra errada, vira um genocídio."

O primeiro grande protesto com torcidas organizadas rolou em São Paulo, na Avenida Paulista, e juntou rivais como corintianos e palmeirenses. No Rio, flamenguistas lideraram movimento semelhante.

Mano Brown e Thaíde participaram do protesto de 8 de junho, no Largo da Batata

Foi um momento de luz das lideranças, de falar, 'olha aqui, o momento é outro: não estamos falando de futebol, estamos falando de bem comum, de vida, de momento político, fascismo, antifascimo. Vamos mostrar que somos muito mais do que o pessoal é na televisão'. E mostraram. Talvez nunca volte a ser o que era"

Na época do protesto, houve certo burburinho nas redes sociais por Emicida ser contra a ida à manifestação - Emicida criticou quem tentou jogá-lo contra Mano Brown, seu amigo de longa data.

Na resenha com Thaíde, Mano Brown defendeu o projeto Boogie Naipe, de soul e funk, como sendo também político e uma "continuação dos Racionais" e elegeu seu jogador preferido em um duelo santista:

Robinho ou Neymar?

Robinho, sem dúvidas. E não precisa ser santista pra gostar do Robinho, como não precisa ser corintiano pra gostar do Sócrates"