PUBLICIDADE
Topo

Kasino celebra retorno e fãs brincam: 'Maior que o Alok'

Kasino chega às plataformas digitais - Divulgação Talentmix
Kasino chega às plataformas digitais Imagem: Divulgação Talentmix

Daniel Palomares

Do UOL, em São Paulo

17/07/2020 04h00

Quem diria que uma participação no "Sabadaço" de Gilberto Barros láááá em 2006 seria lembrada até hoje? O Kasino —aêêê, Kasinão!—, projeto musical formado há 15 anos pelo DJ Mister Jam, o produtor musical Ian Duarte e o vocalista Fher Cassini, chega só hoje oficialmente às plataformas digitais, mas ainda colhe os louros dos inúmeros memes que povoam a web.

Em papo com o UOL, Fher conta sobre os planos e inspirações da nova fase do Kasino, e explica sua reação ao ser parte de um dos momentos mais emblemáticos da internet brasileira.

Chegou a me incomodar um tempo, mas agora vi o quanto sou querido e gostam de mim. O meme trouxe uma legião de fãs mais novos que não viveram a época do sucesso do Kasino.

Aêêêêêêêê Kasinãããããão

O Kasino vivia o auge do sucesso com o hit "Can't Get Over", estourado na novela "América" de 2005, e conseguiu emplacar outras músicas em trilhas da Globo na mesma época:

Tivemos um bom retorno financeiro tanto com shows quanto com direitos de execução em rádios

No ano seguinte, a participação no "Sabadaço", porém, traria um outro tipo de legado. O "Aêêêê Kasinããão" de Gilberto Barros entrou para os anais da internet nacional e os vídeos da participação do cantor no programa acumulam milhões de visualizações no YouTube. Fher e o apresentador nunca mais se encontraram.

Acho engraçado o vídeo. Penso que ele queria cantar comigo, pois falou a apresentação inteira! O que incomodou foi só a falta de informação dele, já que falou que sou de Santos, da Zona Leste de São Paulo, sendo que sou carioca.

Em 2016, dez anos após a fatídica atração, um suposto perfil de Fher nas redes sociais relatou que teria se sentido humilhado no programa e quase entrado em depressão com a repercussão dos memes. Em entrevista ao "The Noite" em 2018, Gilberto Barros lamentou: "Ele deveria ter aproveitado e usado isso como trampolim. Gostaria muito que fizesse sucesso". Fher nega a história.

Isso nunca aconteceu. O boato surgiu porque criaram um evento nas redes sociais comemorando dez anos da minha ida ao programa. Um perfil fake criado por alguém que me conhecia bem escreveu essas coisas. Eu nunca fui procurado por ninguém para esclarecer.

Fim e retomada

Fher deixou o Kasino em 2008 e o grupo só continuou até 2009, com outro vocalista. O sucesso nas redes sociais, porém, continuava firme e forte e acabou impulsionando a retomada.

Eu e o Mister Jam estávamos amadurecendo a ideia. Aí recebemos um vídeo dos DJs Dubdogz tocando [uma música nossa] numa live. Fui agradecer e eles se animaram em fazer um remix com a gente. Acho que era o gancho para voltar!

A ideia é produzir novas músicas e finalmente disponibilizar os clássicos, tão pedidos pelos saudosos fãs, em todas as plataformas. No Twitter, Fher ainda recebe o carinho de vários seguidores e tenta responder a todos.

Recebemos muitos pedidos para ter as músicas nas plataformas. As pessoas abraçaram o projeto. O público, nas redes sociais, me chama até de lenda. Dizem que sou maior que o Alok. Acho divertido!

Futuro do Kasino

De 2005 para cá, o cenário musical brasileiro passou por grandes transformações. O pop ganhou a força de ícones como Anitta e Pabllo Vittar, enquanto o próprio Alok se tornou uma das maiores forças da música eletrônica ao redor do mundo.

Acho que estamos vivendo o melhor momento da música eletrônica no país. Vários DJs sendo reconhecidos lá fora e tocando nos grandes festivais. Alok, Vintage Culture, Dubdogz e Cat Dealers. Tenho conversado com amigos DJs, buscando já uma reciclagem. É hora do Kasino se reinventar, sem perder a sua essência.

Apesar do repertório inteiramente em inglês, Fher não descarta a possibilidade de novas músicas em português. Ele também sonha em trabalhar com outros nomes em alta da música eletrônica nacional como Pontifexx e Cevith, mesmo que o cenário musical de agora já não o agrade tanto.

As músicas de agora não me agradam muito. Amo escutar rock, eletrônica e alguma coisa de pop. Não paro de ouvir o CD novo da Lady Gaga! O que mais sinto falta é da época da dance music. Tinham projetos maravilhosos: Lasgo, Ian Van Dahl, Dalimas. Sinto muita nostalgia