PUBLICIDADE
Topo

Felipe Neto diz ter tirado frase imprópria de livro; Fontenelle vai ao MP

Siga o UOL no

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

11/07/2020 16h37

Antônia Fontenelle diz ter pedido para o Ministério Público do Rio de Janeiro retirar de circulação o livro "Felipe Neto: A trajetória de um dos maiores youtubers do Brasil" por supostamente ainda conter a brincadeira intitulada "casa, mata ou trepa" —na qual o leitor escolheria uma celebridade para cada ação. Porém, após atrair público infantil com o sucesso do irmão Luccas, Felipe Neto afirma que solicitou que a primeira versão do livro fosse recolhida das lojas em 2018 e diz que as tiragens seguintes não têm mais a página.

Em nota enviada ao UOL, a equipe de Felipe Neto voltou a dizer que a publicação original, que continha a página com a brincadeira imprópria, não deveria estar em circulação "há anos". Além disso, os números de vendas dos últimos 18 meses que foram apresentados à reportagem mostram que até mesmo a nova versão do livro, que não contém mais a brincadeira, vendeu menos de 5 mil cópias em 2019 e menos de 50 em 2020.

A assessoria de imprensa de Felipe Neto informa que, desde 2018, o livro em questão passou a ser impresso e distribuído sem a página mencionada. [...] Em 2018, a editora responsável pela obra [Ediouro] fez um levantamento dos exemplares que estavam distribuídos sob consignação. Após isso, uma nova tiragem, com a página substituída, chegou às prateleiras das livrarias e lojas de todo o Brasil. Contudo, a editora não possui controle sobre publicações já adquiridas pelas mesmas

Antônia alega que realizou uma pesquisa com apoio de outras pessoas e que, em 2020, ainda teria sido encontrado à venda o livro com a frase "casa, mata ou trepa". Em vídeo enviado ao UOL (veja acima) feito por Rogério Betin, em Curitiba, há vários exemplares em uma estante nas Lojas Americanas do Shopping Mueller. Rogério retira o plástico de apenas um deles e mostra que a brincadeira polêmica está lá, mas não confere outros exemplares.

Eu pedi para fazer uma pesquisa, e [a versão antiga do livro] está em todo o Brasil. Tem gente em Curitiba, gente na Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo... Alguns acharam nas Lojas Americanas, outros acharam em livrarias. Pilhas e pilhas de livros. Todos abriram a página e mostraram que continua lá. São livros recém-chegados, não são livros de dois ou três anos atrás que estão empilhados

- Antônia Fontenelle

Porém, não é possível saber quando o livro mostrado por Rogério Betin foi embalado e recebido pela loja em questão, já que poderia se tratar de um exemplar de tiragem antiga mantido no estoque do estabelecimento por anos. Ele não exibiu informações como número da edição ou data de impressão.

Também foi fotografada uma nota fiscal das Lojas Americanas em Curitiba, datada de 29 de junho de 2020, mas o item adquirido é descrito apenas como "Livro Felipe Neto". Felipe Neto já publicou outros livros, de modo que a nota fiscal, por si só, pode não ser vista como prova contundente de que o youtuber teria sido negligente no recolhimento dos exemplares.

felipe neto - Pedro Loreto/No Title Mgt/divulgação - Pedro Loreto/No Title Mgt/divulgação
O youtuber Felipe Neto alega que ainda não tinha público infantil quando criou o livro, em 2017
Imagem: Pedro Loreto/No Title Mgt/divulgação

Em 2019, o youtuber já havia admitido a possibilidade de alguma loja ou distribuidora ter "furado" o recolhimento dos livros. Na ocasião, Felipe Neto disse que seria uma "raridade" encontrar este exemplar:

Esse livro não existe mais. Se você achar em algum lugar para vender, será uma raridade. Alguém furou o recolhimento dos livros. Se você comprar o livro hoje, vai encontrar outra página no lugar, aquela já foi removida há muito tempo. Ficou muito pouco tempo à venda com essa página. E o que os caras estão fazendo hoje é encontrar exemplares desse livro e colocar crianças para segurar o livro

- Felipe Neto, em vídeo publicado em 2019

"Quando esse livro foi projetado, eu ainda falava um monte de palavrões. E eu tinha o quadro 'casa, mata ou... a palavra feia' aqui no canal. Era um quadro do canal! Eu apenas botei no livro porque ele não era para crianças. Eu quero deixar claro que leva pelo menos seis meses o processo de idealização do livro até ele ser lançado oficialmente. Depois que ele foi lançado, o meu canal começou a atrair muitas crianças por causa do meu irmão, Luccas Neto. Não por minha causa, tá? E isso é importante deixar claro", acrescentou.

O youtuber seguiu se defendendo:

Se você perguntar para qualquer criança de quatro ou cinco anos o que ela acha do Felipe Neto, ela vai dizer que prefere o Luccas Neto. Ela assiste ao meu irmão e conhece o meu conteúdo de tabela. Quando eu comecei a ver aquelas crianças entrando no meu canal por causa do meu irmão, eu falei: 'gente, eu tenho que mudar tudo. Eu não faço conteúdo para criança'. Aí eu tirei palavrão, matei esse quadro, transformei em 'casa, mata ou beija', e eu mandei recolher e trocar o livro que tinha essa página

Leia a nota enviada pela equipe de Felipe Neto:

A assessoria de imprensa de Felipe Neto informa que, desde 2018, o livro em questão passou a ser impresso e distribuído sem a página mencionada. Além disso, segundo a lista do PublishNews, veículo de maior credibilidade do mercado editorial do país, a publicação vendeu somente 4.741 exemplares em 2019. Já em 2020, de acordo com o mesmo, as vendas não foram relevantes o suficiente para sequer colocá-lo na lista. Considerando que livros que venderam apenas 50 exemplares estão na lista, é possível concluir que o referido livro de Felipe Neto teve uma venda irrisória em 2020.

Lista de vendas da editora em 2020

Lista de vendas da editora em 2019

À época, a editora responsável pela obra fez um levantamento dos exemplares que estavam distribuídos sob consignação. Após isso, uma nova tiragem, com a página substituída, chegou às prateleiras das livrarias e lojas de todo o Brasil. Contudo, a editora não possui controle sobre publicações já adquiridas pelas mesmas.