PUBLICIDADE
Topo

Música

Nina Simone: Quem é cantora homenageada por Guardiola contra fascismo

Nina Simone morreu em 2003 - David Redfern/Redferns/Getty Images
Nina Simone morreu em 2003 Imagem: David Redfern/Redferns/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

08/07/2020 12h30

O ex-jogador e técnico Josep Guardiola, do Manchester City, nunca escondeu suas manifestações contra o racismo: Pep sempre aparece como um dos apoiadores do movimento Black Lives Matter. Mas uma imagem do espanhol ganhou destaque ontem, muito pela camiseta que usava. "Love Simone, Hate Fascism" ("ame Simone, odeie fascismo").

Escolhi refletir o tempo e as situações em que me encontro. Como ser artista e não refletir a época?

disse Nina Simone

Guardiola com camisa em homenagem a Nina Simone - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Mas quem afinal é Simone?

Eunice Kathleen Waymon, mais conhecida como Nina Simone, foi pianista, cantora, compositora e ativista pelos direitos civis dos negros norte-americanos. Ela morreu em 2003, aos 70 anos, após lutar muito contra o racismo.

Minha mãe foi uma das maiores artistas de todos os tempos. Quando se apresentava, ela era uma anomalia. Ela era brilhante, ela era amada Lisa Simone, sua filha

Quando começou?

A sua relação com o piano vem desde pequena. Ela tocava na igreja batista, pois sua mãe sempre frequentava cultos religiosos.

Boicote

Em um momento em que o racismo falava mais alto nos Estados Unidos, Nina acabou sendo boicotada por algumas gravadoras americanas. Suas apresentações também chegaram a ser canceladas.

Luta contra o racismo

Suas músicas contêm críticas fortes contra o racismo. Ela chegou a falar algumas vezes que essa era uma de suas missões na Terra.

Ela também era revolucionária. Ela achou um propósito para o palco

Massacre marcante

Nina percebeu que sua arte poderia ser utilizada como manifestação política após quatro crianças serem mortas em um ataque racista a uma igreja em Birmingham, no Alabama.

'Mississippi Goddam'

A música retrata um pouco a situação do atentado no Alabama. Mas também aponta outros locais dos Estados Unidos onde o racismo era escancarado.

Este país está cheio de mentiras. Vocês todos vão morrer e morrerão como moscas

Trecho de 'Mississippi Goddam'

Martin Luther King

A morte do líder negro, em 1968, mexeu mais uma vez com Simone. Ela compôs "Why? The King of Love is Dead" (Por quê? O rei do amor está morto", em tradução livre). A música foi cantada três dias após o enterro de Luther King.

Parceria no Brasil

Nina abandonou os Estados Unidos, cansada da luta. Viveu em outros países como a Libéria. Ela também gravou uma parceria com Maria Bethânia, mas a gravação foi a distância. Ela morreu na França.

História virou filme

"What Happened, Miss Simone?". Sua história foi retratada no documentário da Netflix. A obra foi lançada em 2015 e foi indicada um Oscar.

Música