PUBLICIDADE
Topo

Ator de Star Wars faz discurso emocionante em protesto contra racismo

O ator John Boyega faz discurso para manifestantes em protesto contra o racismo em Londres - Daniel Leal-Olivas/AFP
O ator John Boyega faz discurso para manifestantes em protesto contra o racismo em Londres Imagem: Daniel Leal-Olivas/AFP

Do UOL, em São Paulo

03/06/2020 13h00Atualizada em 03/06/2020 13h53

O ator John Boyega, famoso por interpretar Finn na última trilogia Star Wars, fez um discurso emocionante contra o racismo para manifestantes reunidos hoje no Hyde Park, em Londres.

Vídeos do ator falando para uma multidão viralizaram nas redes sociais. Nas imagens, é possível ver Boyega ficar com a voz embargada em alguns momentos, enquanto era ovacionado pelos manifestantes.

"Vidas negras sempre importaram. Nós sempre fomos importantes. Nós sempre significamos algo. Nós sempre vencemos, apesar das dificuldades", , declarou em um megafone.

Depois, Boyega lembrou a vidas inocentes que foram perdidas precocemente por causa do racismo ao longo da história, e disse que não temia um eventual prejuízo à sua carreira por causa do seu discurso.

"Nós somos a representação física do nosso apoio a George Floyd (...). Estou falando para vocês do meu coração. Eu não sei se vou ter uma carreira depois disso, mas fo***se", afirmou.

"Nós não sabemos o que George Floyd poderia ter alcançado, nós não sabemos o que Sandra Bland poderia ter alcançado, mas hoje vamos garantir que não será um pensamento estranho para os nossos jovens".

No trecho em que mais se emocionou, Boyega falou diretamente às mulheres negras.

"Elas são o nosso coração, elas são o nosso futuro. Não podemos demonizar nossos semelhantes, nós somos os pilares da família", disse.

"Imaginem isso: uma nação que é construída com famílias que estão se desenvolvendo, que são saudáveis, que se comunicam, que criam suas seus filho com amor, que têm maiores chances de se tornarem seres humanos melhores, e é isso o que precisamos criar", declarou.

Protestos em Londres

Milhares de pessoas se reuniram hoje no Hyde Park e caminharam pelas ruas de Londres em protesto contra o racismo. O movimento é uma expansão dos protestos que acontecem nos Estados Unidos por causa da morte de Goerge Floyd, de 46 anos.

Floyd, um segurança negro, morreu após ser imobilizado por um policial branco em Minneapolis, nos EUA. Na abordagem que culminou na morte do segurança, o policial colocou o joelho sobre o pescoço de Floyd e ignorou avisos de que ele não conseguia respirar.

Filmes e séries