PUBLICIDADE
Topo

Música

Já ouvimos o 'Chromatica' de Lady Gaga: retorno ao pop traz nostalgia

Lady Gaga em "Rain On Me" - Reprodução/Twitter
Lady Gaga em "Rain On Me" Imagem: Reprodução/Twitter

Daniel Palomares

Do UOL, em São Paulo

28/05/2020 17h27

Chega de esperar. Faltam poucas horas para o lançamento oficial de "Chromatica", o sexto álbum de estúdio de Lady Gaga. Adiado em quase dois meses pelo avanço da pandemia do coronavírus ao redor do mundo, o disco traz o retorno da cantora ao universo pop depois de sua bem-sucedida investida no cinema.

O UOL já teve acesso a todas as faixas do novo projeto da cantora e te conta em primeira mão o que esperar do novo trabalho de Gaga:

1. 'Chromatica'

Welcome to Chromatica!
O disco começa com um instrumental de proporções épicas, como se estivéssemos mergulhando em uma aventura em outro universo. Gaga foi a responsável pela composição e produção da faixa.

2. 'Alice'

Já que entramos no universo fantástico de "Chromatica", nada faz mais sentido do que nos sentirmos como Alice no País das Maravilhas. A faixa dançante e pronta para as pistas nos lembra da Gaga que dominou o mundo com seu "The Fame Monster" no início da década passada e faz referência direta ao livro de Lewis Carroll.
Eu não me chamo Alice, mas ainda procuro o País das Maravilhas
Refrão de 'Alice', de Lady Gaga

3. 'Stupid Love'

Faixa já conhecida de todos, "Stupid Love" marcou o retorno oficial de Gaga ao pop. Com referências aos anos 1980 e 1990, a música não se sustentou muito bem nos charts, mas acaba soando melhor dentro do conjunto do álbum do que separada.

4. 'Rain On Me' (feat. Ariana Grande)

Segundo single do álbum, "Rain On Me" foi lançada na semana passada e levou o público, com razão, ao delírio. Combinando os vocais graves de Gaga com o tom angelical de Ariana, a música entregou tudo que os fãs de pop mais precisavam. É uma pena que ninguém tenha alguma balada para ir neste momento e poder se jogar na pista ao som do novo hit das duas.

5. 'Free Woman'

Gaga mergulha nas referências da música dance dos anos 1990 em "Free Woman", com uma sonoridade inspirada em nomes como Madonna e Paula Abdul. Deve agradar aos amantes do pop mais "old school". Na letra, a diva festeja a força feminina de alguém que não precisava de um homem para ser completa.

6. 'Fun Tonight'

A mais fraca deste início do álbum, "Fun Tonight" promete mais do que entrega. Enquanto os versos parecem se encaminhar para uma grande explosão no refrão, o resultado final soa desanimador e aquém de seu potencial. Sem contar o final abrupto. Nem tudo é perfeito, afinal...

7. 'Chromatica II'

Em mais um interlúdio instrumental, Gaga aposta em uma sonoridade ainda mais dramática do que no início do disco. Apesar de curtas, elas são eficientes ao trazerem coesão ao álbum.

8. '911'

Com uma voz robotizada, Gaga entrega uma faixa que parece uma filha entre seus álbuns "Born This Way" (2011) e "ARTPOP" (2013). Pode não ser de fácil digestão para muitos por suas batidas intensas e efeitos vocais. Na letra, Gaga conta que ela mesma é sua maior inimiga, relembrando arrependimentos do passado e suas mudanças de humor constantes.

9. 'Plastic Doll'

Brincando com a ideia de ser uma boneca ("Vivi numa caixinha cor-de-rosa por tempo demais"), Gaga revela que, na verdade, não pode ser usada como brinquedo por ninguém. A faixa produzida por Skrillex, um dos principais nomes da música eletrônica, é divertida, mas não tem cara de ser escolhida como um dos próximos singles.

10. 'Sour Candy' (feat. BLACKPINK)

Liberada hoje de manhã, "Sour Candy" marca uma novidade na carreira de Gaga em sua primeira parceria com o girlgroup coreano BLACKPINK. A faixa virou um dos assuntos mais comentados no Twitter por sua semelhança com o single "Swish Swish" de Katy Perry, lançado em 2017. O fato é que ambas as canções têm o sample de uma mesma música: "What They Say" de Maya Jane Coles. "Sour Candy" é divertida e é daquelas músicas que grudam nos ouvidos, mas soa mais como uma faixa das BLACKPINK com participação de Gaga do que o contrário.

11. 'Enigma'

Com vocais poderosos, "Enigma" traz Gaga em uma vibe vintage, seguindo o exemplo de músicas antigas como "Fashion of His Love" do álbum "Born This Way", de 2011. Quem gostou dessa era da cantora deve se apaixonar novamente.

12. 'Replay'

Não se deixe enganar pelas batidas agitadas e o ritmo dançante. Na letra de "Replay", Gaga fala sobre suas cicatrizes e monstros que sempre a acompanharam ao longo da vida. Apesar de bem produzida, não é tão empolgante quanto outras faixas do CD.

13. 'Chromatica III'

Última parte dos interlúdios instrumentais e bem mais curta que as anteriores, a faixa nos encaminha para a parte final do álbum, apostando novamente numa composição dramática e teatral.

14. 'Sine From Above' (feat. Elton John)

Se esperava que Gaga fosse apostar numa grande balada ao lado de Elton John, como foi a apresentação de dois com "Speechless" no Grammy. Mas "Sine From Above" traz os dois em uma faixa cheia de energia e que com certeza arrastaria todo mundo para a pista de dança. "Quando eu era jovem, me sentia imortal", festejam os dois na letra. Realmente: fazia tempo que Elton não soava tão jovial e empolgante.

15. '1000 Doves'

Seguindo o ritmo empolgante da música anterior, "1000 Doves" é o que os fãs de música pop chamariam de "pop perfection". Produzida por BloodPop, um dos responsáveis pela maioria das faixas do álbum, é daquelas faixas que te fará gritar "Que hino!" assim que acabar de escutar.

16. 'Babylon'

Encerrando o disco, chega uma das faixas que deixaram os fãs mais ansiosos pelas prévias divulgadas há algumas semanas. Novamente, as semelhanças com "Vogue" de Madonna são fáceis de se notar, até mesmo no jeito em que Gaga entoa cada trecho da música. Uma ode aos anos 1990 e que fecha o disco com chave de ouro.
Ansioso? Falta pouco para todos escutarem o novo trabalho de Lady Gaga que promete enriquecer sua coleção de sucessos. "Chromatica" será liberado em todos os serviços de streaming a partir da meia-noite, no horário de Brasília.

Música