PUBLICIDADE
Topo

Patricia Pillar vê 'plano de extermínio' da cultura brasileira

A atriz Patrícia Pillar  - Reprodução/Instagram
A atriz Patrícia Pillar Imagem: Reprodução/Instagram

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

21/05/2020 17h04

A atriz Patricia Pillar fez duras críticas as mudanças constantes no comando da cultura do Brasil. A declaração foi dada pela artista durante coletiva de imprensa digital para falar sobre a novela "A Favorita", que entrará no catálogo do Globoplay na próxima segunda-feira (26).

Eu acho que tem um plano de extermínio do artista da cultura", disse. "Acho que existe um plano para que calem nossas vozes. Pessoas são colocadas [no governo] para não fazer, para brecar as pautas. Se colocam pessoas, como o ministro da educação que odeia educação. Colocam uma pessoa para cuidar de cultura que não tem a mínima noção do que deve ser feito.

Quem também participou da coletiva foi Claudia Raia, que protagonizava a novela ao lado de Patricia Pillar.

"O governo não tem um plano para a arte, é como se fosse dispensável. É preciso falar e reforçar que a cultura é a identidade de um país. Eu como produtora de teatro estou com minha equipe toda parada e sendo remunerada, porque não aceito mandar uma equipe toda embora. Mas não tem um plano, uma ajuda, uma pesquisa do que pode ser feito pelo setor", falou Claudia.

"É muito triste porque as pessoas não têm como comer. Já faz um tempo e agora com esse novo governo, estamos totalmente abandonados. Não tem uma luz no fim do túnel. Não sei para onde a gente vai", completou.

Novela clássica

a favorita - flora - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Patricia Pillar como Flora em A Favorita
Imagem: Reprodução/TV Globo

Em "A Favorita", de João Emanuel Carneiro, exibida originalmente em 2008, Claudia e Patricia viveram Donatela e Flora, duas amigas de infância que formaram uma dupla sertaneja de sucesso, até o dia em que seguiram seus caminhos diferentes. Uma das duas, por ódio, matou o marido de Donatela, que também teve um caso com Flora, mas até o capítulo 56 não se sabia quem era a verdadeira vilã.

Nele, se descobriu que Flora era a verdadeira assassina. A interpretação de Patricia foi extremamente elogiada e ela entrou para a história como uma das grandes vilãs da teledramaturgia brasileira.

Hoje, a atriz espera que a personagem possa fazer os "vilões brasileiros" refletirem sobre si.

"Que sirva para cada uma dessas pessoas olhar para sua própria alma e pensar no porquê ela emite todo ódio", frisou.

Entretenimento