PUBLICIDADE
Topo

Pop


Lana Del Rey anuncia novo álbum e rebate acusação de 'romantizar abuso'

A cantora americana Lana Del Rey, um dos destaques do Lollapalooza 2019 - Andrew Chin/Getty Images
A cantora americana Lana Del Rey, um dos destaques do Lollapalooza 2019 Imagem: Andrew Chin/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

21/05/2020 08h05

Resumo da notícia

  • Lana Del Rey anunciou que seu próximo disco sai em 5 de setembro
  • Cantora ainda rebateu acusação de 'romantizar abuso' em suas músicas
  • 'Ariana e Beyoncé podem cantar sobre sexo, mas eu não posso cantar sobre meus relacionamentos?'
  • Lana ainda disse que sua realidade é a mesma de muitas mulheres

Lana Del Rey postou um longo texto no Instagram, onde rebateu quem a acusa de romantizar relações abusivas, citou colegas cantoras como Ariana Grande e Beyoncé, e anunciou o lançamento do seu próximo álbum, supostamente intitulado "White Hot Forever", para 5 de setembro.

"Uma pergunta para a cultura: agora que Doja Cat, Ariana, Camila [Cabello], Cardi B, Kehlani, Nicki Minaj e Beyoncé chegaram ao topo das paradas cantando sobre ser sexy, ficar sem roupa, transar, trair, etc — será que eu posso voltar a cantar sobre apreciar o próprio corpo, se sentir linda por estar apaixonada, mesmo que seja um relacionamento imperfeito, dançar por dinheiro, ou o que quer que seja, sem ser crucificada e acusada de glamourizar abuso?", escreveu ela.

"Eu estou cansada de escritoras mulheres e cantoras alternativas dizendo que eu glamourizo o abuso, sendo que na verdade eu sou apenas uma pessoa glamourosa que canta sobre as realidades de relacionamentos abusivos — que, como estamos percebendo agora, são muito prevalentes na sociedade", continuou.

"Com todos os tópicos que as artistas mulheres agora podem explorar, eu só quero dizer que, nos últimos dez anos, é meio patético que a minha exploração lírica detalhada do meu papel por vezes submisso ou passivo em relacionamentos tenha feito as pessoas dizerem que estou atrasando a independência feminina", argumentou ainda.

Feminismo

Abordando a luta por direitos das mulheres, Lana Del Rey disse que "não é uma anti-feminista". "Precisa haver um lugar no feminismo para mulheres que se parecem comigo e agem como eu. Sou o tipo de mulher que diz 'não' e os homens ouvem 'sim'. O tipo de mulher que é abusada sem piedade por agir de forma autêntica e delicada. Sou o tipo de mulher que tem sua história silenciada por mulheres mais fortes, ou por homens que odeiam mulheres", explicou.

"Eu sempre fui honesta e otimista sobre os relacionamentos que tive. Adivinhem? Essa é a realidade de muitas mulheres", disse ainda. "E essa foi, infelizmente, a minha realidade até o momento em que escrevi aqueles discos. Eu só quero dizer que foram longos dez anos de críticas de m*rda à minha música, até isso mudar recentemente, e que eu aprendi muito com elas".

Lana comentou também que seus álbuns e seu sucesso "abriram um caminho para outras mulheres na música deixarem de 'fingir que estava tudo bem', e poderem dizer o que quisessem em suas músicas". "Enquanto isso, se eu mesma expressava qualquer nota de tristeza em um dos meus discos, era taxada de 'histérica', como se fossem os anos 1920", completou.

Novo álbum

A cantora finalizou o post dizendo que vai "detalhar estes sentimentos" em seus próximos livros de poesia. Lana anunciou o lançamento da sua primeira coletânea de poemas, "Violet Bent Backwards Over the Grass", em janeiro — uma data de publicação ainda não foi revelada.

"Também tenho certeza que parte dessas reflexões acabarão entrando em meu novo álbum, que sai em 5 de setembro", finalizou ela. "Obrigada por lerem, e feliz quarentena".

Pop