PUBLICIDADE
Topo

'Game of Thrones', um ano depois: O que descobri com os atores da série

Já faz um ano desde que "Game of Thrones" - Divulgação
Já faz um ano desde que 'Game of Thrones' Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

19/05/2020 04h00

Hoje faz um ano desde que foi exibido o último episódio de "Game of Thrones". Sim, um ano daquele final que ainda dói no coração de muita gente (e no meu também). Mas, como jornalista e fã, tenho algumas lembranças mais felizes da série —incluindo o privilégio de ter passado alguns dias e momentos com os seus atores.

Viajei a Londres para os eventos de lançamentos da sétima e da oitava temporadas, e acompanhei de perto os gritos dos fãs que receberam Maisie Williams e John Bradley, a Arya e o Sam, na CCXP de 2018.

Revelações sobre o que estava para acontecer ou como seria o final eram proibidíssimas, e os atores sabiam bem disso. Mas dava para descobrir alguns segredinhos dos bastidores.

A pressão para não contar nada era grande

Surpresas e reviravoltas sempre foram parte "Game of Thrones", e conforme a série crescia e ultrapassava o material dos livros de George R.R. Martin, os segredos em torno dela só aumentavam —o que gerava mais estresse para os atores.

Gemma Whelan, a Yara, disse que o set era o lugar em que eles mais podiam relaxar, sem ter várias pessoas perguntando sem parar sobre a série.

É o lugar em que todo mundo sabe o que está acontecendo

Nas entrevistas, inclusive, era visível a tensão de alguns atores com tantos segredos para segurar. Daniel Portman, o Podrick, foi bem econômico ao falar sobre a sétima temporada.

É aquela depois da sexta temporada. Tem sido mais do mesmo. Definitivamente, é a melhor forma de descrever

Puxado, né?

Já havia pistas de que o final seria, er, polêmico

Já tínhamos indícios que o final seria controverso meses antes de ele ir ao ar —mas talvez eles tenham passado um pouco despercebidos por conta do histórico da série com reviravoltas. Em fevereiro do ano passado, Emilia Clarke, a Daenerys, foi bem clara ao dizer que o fim iria provocar muitas discussões.

Você quer que todos fiquem felizes, mas a última temporada de qualquer série vai deixar pessoas decepcionadas e chateadas, vai provocar brigas em grupos de amigos... Haverá um 'de que lado você está?', e acho que tudo isso faz parte da série.

John Bradley-West, o Sam, havia ido na mesma linha poucos meses, quando conversou comigo na CCXP.

É uma série sempre desafiadora. Ninguém queria que Robb Stark morresse porque era doloroso, mas nós fizemos isso porque era difícil e desafiador. O fim [da série] não é um fim que as pessoas esperam, mas é um fim satisfatório.

E o clima?

Ok, não era exatamente fácil ser parte da série mais comentada do mundo. Mas o clima entre os atores era bem alto-astral, com aquela sensação de que realmente se formou uma família nos bastidores.

Uma das descobertas mais fofas foi a de que os atores criaram praticamente um grupo de apoio para lidar com os (possíveis) traumas das mortes da série, como contou Sophie Turner.

Todo ano, antes de começar uma nova temporada, nós checamos uns aos outros. 'Como você está? Tudo bem? Você está bem com tudo isso?' Tem esse laço realmente forte que formamos e é meio indestrutível agora.

(Como será que foi a ligação pra Emilia Clarke depois de todos lerem o fim da série? Fica o mistério...)

E eles também curtiam bastante uma festa. "Ou estávamos no set, ou no bar", disse uma vez Pilou Asbaek, o Euron Greyjoy.

Na última temporada, isso foi levado mais a sério ainda: toda vez que alguém gravava sua última cena, os atores iam para o bar comemorar. Ou afogar a tristeza, como no caso de Emilia:

Foi muito emocionante. Foi o dia em que eu percebi que o álcool também podia ser um depressor.

E teve, claro, a grande festa de encerramento que reuniu mais de duas mil pessoas. O grande destaque? Gwendoline Christie, a Brienne. "Ela é a rainha da pista", entregou Jacob Anderson, o Verme Cinzento.

Mas e os atores, como são?

Já falamos bastante de como era a sensação dos bastidores que os atores passavam. Mas, afinal, como eles são?

Vou contar aqui as minhas impressões de alguns:

Emilia Clarke é fofa, atenciosa e muito, muito engraçada! Uma daquelas pessoas você poderia passar horas jogando conversa fora em um bar

Nikolaj Coster-Waldau, o Jaime, é discreto e de poucas palavras, mas um gentleman.

Maisie Williams é divertida e bem pé-no-chão, mostrando bastante maturidade apesar de ser uma das mais jovens do elenco.

Sophie Turner parece ser séria, mas é bem acessível. Tirou de letra até as perguntas de temas espinhosos, como o estupro de Sansa.

Jacob Anderson é o piadista do grupo, bem-humorado e sempre com uma tirada na ponta da língua.

Já John Bradley pareceu ser o coração do elenco. Foi o que mais se emocionou ao falar de como foi difícil se despedir da série e dos amigos que fez por lá.

E você, com saudades de "GoT"?

Game of Thrones