PUBLICIDADE
Topo

Morre aos 78 anos o escritor Sérgio Sant'Anna, vítima da covid-19

O escritor carioca Sérgio Sant"Anna, - WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/
O escritor carioca Sérgio Sant'Anna, Imagem: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/

Do UOL, em São Paulo

10/05/2020 09h19

O escritor Sérgio Sant'Anna morreu hoje aos 78 anos vítima da covid-19. Ele estava internado no hospital Quinta D'Or, no Rio de Janeiro, desde o domingo passado. A informação foi confirmada pela irmã de Sérgio, a também escritora Sonia Sant'Anna.

"É tão estranho saber que não vou mais ver aquele que conheci no dia mesmo em que nasceu. Lembro bem, foi na casa Casa de Saúde São José, no Humaitá. Eu, a irmã mais velha, tinha 4 para 5 anos. Haviam me prometido uma irmã, que se chamaria Vânia, e fiquei braba quando me participaram o nascimento de um irmão, o hospital estava em falta de meninas. Mas quando olhei pelo vidro do berçário, lá estavam vários bercinhos ocupados e com laço rosa, sinal de que existiam meninas disponíveis. Eles é que tinham preferido pegar um menino. Depois me conformei e nos tornamos bons amigos", escreveu Sonia em sua página no Facebook.

Vencedor de três prêmios Jabuti — com os livros "O Concerto de João Gilberto no Rio de Janeiro", "Amazona", relançado em 2019, e "Um Crime Delicado" — Sant'Anna era considerado um dos principais contistas do país. Sua obra foi traduzida para o alemão, o italiano, o francês e o tcheco, além de ter sido adaptada para o cinema.

O autor, que é pai do também escritor André Sant'Anna, completou 50 anos de carreira em outubro do ano passado. Seguia escrevendo e publicou contos inéditos durante a pandemia. Seu último livro, "Anjo Noturno" (Companhia das Letras), foi lançado em 2017.

Amigos e escritores lamentaram sua morte. Xico Sá destacou que o autor andava indignado e produzindo muito. O também escritor Daniel Galera chamou Sant'Anna de o "mestre do conto" que "vinha enfileirando livros brilhantes e sensíveis".

Livros e HQs