PUBLICIDADE
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

'Westworld': Os 3 grandes erros da 3ª temporada

Thandie Newton em cena de Westworld - Divulgação
Thandie Newton em cena de Westworld Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

04/05/2020 18h44

"Westworld" encerrou ontem sua terceira temporada deixando um gosto amargo para quem a acompanhou. Ele pode ter sido levemente aliviado com uma sequência explosiva de cenas pós-créditos que indicam que há muito o que esperar pela frente, mas os últimos oito episódios dificilmente serão lembrados como pontos altos da série criada por Jonathan Nolan e Lisa Joy.

Foi uma temporada que pareceu muito mais uma preparação para o que está por vir do que uma história propriamente contida em si, como foram as duas anteriores. Sofrendo com a transição para o mundo fora dos parques da Delos, a complexidade narrativa da série também foi deixada quase que completamente de lado, fazendo com que ela perdesse muito do seu charme original.

Abaixo, dissecamos os pontos que não funcionaram na nova temporada (leves spoilers do fim abaixo, então não leia se não estiver em dia com a série):

Roteiro "mais fácil"...

As indagações existencialistas e filosóficas que deram o estofo para as duas primeiras temporadas de "Westworld" ficaram de escanteio nos novos episódios. E não é como se elas não coubessem na história: a problemática dos humanos comandados por uma inteligência artificial que determina cada detalhe de suas vidas abre espaço para questões profundas sobre privacidade e livre-arbítrio que acabaram por não ser exploradas pelo roteiro.

Essa fator, bem como o retorno a uma estrutura de narrativa linear, aponta para um esforço consciente para tornar a série mais palatável, após uma onda de críticos apontarem que ela teria ficado "difícil demais". Mas, em vez de chegar a um meio-termo, a trama acabou perdendo aquilo que era um de seus grandes diferencias.

... que ficou simplista

O texto também pecou em seu próprio desenvolvimento, recorrendo a soluções fáceis que não chegaram a entregar a catarse necessária na reta final. A virada de Maeve (Thandie), aos 45 do segundo tempo, é um bom exemplo disso, assim como a revelação do plano final de Dolores (Evan Rachel Wood), ambos conduzidos às pressas, em uma transformação mais rápida do que as trocas de roupa da anfitriã.

Personagens sub-aproveitados

Enquanto Dolores conduzia a trama inteira, a maior parte dos outros personagens foi pouco desenvolvida. Bernard (Jeffrey Wright), sempre um dos grandes destaques da série, não teve muito o que fazer -e o pouco que teve pouco foi aprofundado. O mesmo pode ser dito de Maeve, que passou tempo demais tentando apenas executar os planos de Serac (Vincent Cassel).

E não podemos esquecer de Caleb, o novato interpretado por Aaaron Paul. Como contraparte humana de Dolores, ele foi uma adição interessante à série -e o carisma do ator também ajudou muito nisso. Mas a sua história pessoal foi conduzida de maneira descuidada, de forma que as revelações sobre seu passado e sua conexão anterior com Dolores não tiveram o impacto necessário (isso sem falar que ele também passou episódios com pouco ou nada a fazer além de seguir a anfitriã).

De qualquer forma, 'Westworld' já foi renovada para uma quarta temporada —e ela promete ser interessante, a julgar pelas cenas pós-créditos. Será que a série vai deixar os problemas de lado?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL