PUBLICIDADE
Topo

Analista sobre estreias em casa: 'a indústria do cinema matou seu futuro'

"Trolls World Tour" foi o primeiro filme da Universal lançado simultaneamente em casa e nos cinemas - Divulgação/DreamWorks
"Trolls World Tour" foi o primeiro filme da Universal lançado simultaneamente em casa e nos cinemas Imagem: Divulgação/DreamWorks

Do UOL, em São Paulo

28/04/2020 22h47

A decisão da Universal Pictures de lançar filmes em casa e nos cinemas ao mesmo tempo tem se provado polêmica: a AMC, maior rede de cinemas do mundo, anunciou hoje que vai se recusar a exibir os filmes da produtora, a menos que ela volte atrás.

Para o analista Rich Greenfield, da consultoria LightShed, esse cenário vai prejudicar mais os próprios cinemas do que a produtora: "A indústria do cinema acabou de acabar com o próprio futuro", avaliou no Twitter.

A Universal lançou, no último dia 10, o filme "Trolls World Tour" simultaneamente em cinemas (os poucos que estão abertos) e na internet. A estreia foi um sucesso: já arrecadou US$ 95 milhões. O experimento fez a produtora decidir continuar a prática, mesmo após o fim da quarentena.

A decisão contraria as práticas da indústria, que em geral espera um período de 90 dias antes de lançar os filmes em plataformas digitais. Para Adam Aron, CEO da AMC, isso é inaceitável:

"A AMC acredita que, com essa proposta de estreia simultânea em casa e nos cinemas, a Universal está quebrando o modelo de negócios e os acordos entre nossas duas empresas", diz em carta enviada a Donna Langley, presidente da Universal Pictures.