PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: especialistas criticam aglomeração em live de Jorge e Mateus

4.abr.2020 - Garçom usa máscara durante show de Jorge e Matheus - Reprodução/4.abr.2020 - Garçom usa máscara facial durante pocket show de Jorge e Matheus
4.abr.2020 - Garçom usa máscara durante show de Jorge e Matheus Imagem: Reprodução/4.abr.2020 - Garçom usa máscara facial durante pocket show de Jorge e Matheus

Herculano Barreto Filho

Do UOL, no Rio

05/04/2020 14h14Atualizada em 05/04/2020 19h29

Resumo da notícia

  • Infectologista diz que show deveria ter consultoria de especialistas
  • Dupla revela arrecadação de 172 toneladas de alimentos doados por fãs
  • Foto vazada mostra garçom e aglomeração nos bastidores

A aglomeração de pessoas na live transmitida ontem (4) à noite pela dupla sertaneja Jorge e Mateus gerou críticas nas redes sociais e entre especialistas. Infectologistas ouvidos pelo UOL disseram que esse tipo de show deve ser feito com a consultoria de profissionais da área de saúde, com o uso adequado das máscaras e de álcool em gel.

Eles também criticaram a proximidade entre as pessoas em uma foto dos bastidores na transmissão, que vazou na internet. A imagem mostra um garçom com máscara facial, servindo cerveja em meio a uma pequena aglomeração. Algumas pessoas, inclusive, estavam sem proteção no rosto.

Os artistas disseram ter arrecadado 172 toneladas de alimentos durante a transmissão e 10 mil frascos de álcool em gel. Com mais de quatro horas de duração, o show "Na Garagem", gravado em Goiânia (GO) e disponível no canal no YouTube da dupla, quebrou o recorde mundial de uma transmissão na internet, com 3,1 milhões de acessos simultâneos e 35 milhões de visualizações até hoje à tarde.

Apesar da boa iniciativa, especialistas apontaram uma série de equívocos nas medidas de segurança em meio ao crescimento de casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no país. Ontem (4), o Ministério da Saúde anunciou que subiu para 432 o número de mortes por causa da pandemia, que já contaminou 10.278 brasileiros.

4.abr.2020 - Live de Jorge e Mateus teve 3,1 milhões de acessos simultâneos. Segundo a dupla, foram arrecadadas 172 toneladas de alimentos durante a transmissão - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
4.abr.2020 - Live de Jorge e Mateus teve 3,1 milhões de acessos simultâneos. Segundo a dupla, foram arrecadadas 172 toneladas de alimentos durante a transmissão
Imagem: Reprodução/YouTube

O infectologista Edimilson Migowski disse que esse tipo de apresentação só deve ser feito com a consultoria de profissionais da área de saúde.

"O momento não é para amadores. Eles podem até repetir a transmissão, mas com cuidados. A live deveria ter sido feita com suporte profissional. Restaurantes que fazem entregas contam com esse tipo de consultoria. As pessoas estão trabalhando. Mas há uma operação de guerra nos bastidores", explica.

Quando a aglomeração é inevitável, que você estabeleça algumas regras de segurança, como obrigar todo mundo a usar máscara, manter o distanciamento entre as pessoas e oferecer álcool em gel à vontade. Em uma live desse padrão, esses cuidados deveriam ser adotados.

Edimilson Migowski, infectologista

O especialista sugere, inclusive, que a dupla faça um posicionamento público sobre o episódio.

"Eles deveriam fazer desse limão uma limonada de orientação e promoção de saúde. Deveriam se posicionar, dizendo que fizeram a live com a maior das boas intenções. Mas erraram em alguns aspectos. Deveriam mostrar onde houve o erro e onde podem melhorar. Uma imagem vale mais do que dez discursos. As pessoas estão vendo que houve aglomeração", analisa.

A infectologista Cristiana Meirelles sugere que as transmissões sejam feitas nos locais de isolamento dos artistas.

"Se quer fazer uma live, que seja feita dentro da casa do artista mesmo. Tem tantas lives bem feitas de artistas nas suas casas, que têm feito sucesso. O ideal é cumprir o distanciamento social e evitar qualquer tipo de aglomeração. Foi um péssimo exemplo", critica.

Ela também questionou a presença de garçons e até o uso das máscaras, que apareceram na foto vazada na internet. A infectologista, inclusive, não descarta a possibilidade de que a live possa ter sido um foco de contágio.

"O vírus alcança até dois metros. Se a pessoa não mantiver distância e conversar, pode haver transmissão. Isso pode ocorrer até pelo manuseio do copo [que aparece na imagem, com o garçom].

Cristiana Meirelles, infectologista

Segundo ela, até o uso incorreto da máscara pode ter colocado as pessoas em risco na live.

"A máscara também dá a ilusão de que as pessoas estão protegidas. Ela precisa ser trocada a cada duas horas. As pessoas também podem acabar levando as mãos ao rosto. Vejo pessoas de máscara com o nariz ou a boca para fora [como aparece na foto]", explica.

"Não houve aglomeração", diz assessoria

Procurada pelo UOL, a assessoria da dupla sertaneja negou eventuais descuidos nos procedimentos adotados pela equipe. "Seguimos todas as normas recomendadas pelo Ministério da Saúde. Toda produção com o uso de máscaras e luvas. Frascos de álcool em gel foram espalhados pela casa. Não houve aglomeração", respondeu.

Ainda segundo a assessoria, havia 18 pessoas, em equipes de filmagem e montagem do cenário, divididas por dias e horários. "A equipe de filmagem entrou no sábado à tarde e já ficou para a live, como mostra no vídeo".