PUBLICIDADE
Topo

Sem público, circo no interior de SP transmite espetáculo pela internet

Circo Miller instalado em Sorocaba, no interior de São Paulo  - Arquivo pessoal
Circo Miller instalado em Sorocaba, no interior de São Paulo Imagem: Arquivo pessoal

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto

27/03/2020 14h03

Em meio à pandemia de coronavírus, um circo instalado em Sorocaba, interior de São Paulo, inovou e está levando a alegria e magia dos picadeiros até às pessoas por meio da internet. A iniciativa é uma alternativa para arrecadar dinheiro e manter a sobrevivência das cinco famílias que vivem sob suas tendas. Hoje, 27 de março, é comemorado o dia do circo.

Usar uma webcam para transmitir os espetáculos ao vivo na internet foi a solução encontrada pela empresária e artista circense Alejandra Beatriz Areas, 39, para arrecadar o dinheiro do sustento das pessoas que vivem no circo Miller. O primeiro espetáculo, de arquibancadas totalmente vazias, foi no dia 21 de março. Cento e cinquenta pessoas compraram convites.

"Para quem vive de bilheteria como a gente é muito complicado não poder abrir ao público, mas sabemos dessa necessidade. Por isso pensamos em conseguir dinheiro de uma maneira diferente. Mas é estranho fazer a apresentação sem ter público. As pessoas são o nosso termômetro, e as risadas e os aplausos são a nossa maior alegria. Fazer o espetáculo sem ninguém ali presente deixa um vazio muito grande", conta Alejandra.

Os ingressos são vendidos na página do Facebook do circo, a R$ 5. O depósito é feito na conta de Alejanda, que pede o envio do comprovante. Depois, o usuário recebe o link de uma página privada do Facebook, onde a transmissão é feita. O próximo espetáculo online será amanhã, às 19 horas.

"Como hoje é o dia do circo produzimos um documentário que contra a história do Circo Miller. Ele foi montado por uma produtora aqui da cidade, que se prontificou a nos ajudar. Ele também custa R$ 5 e pode ser assistido pela internet. E amanhã vamos fazer uma apresentação com todas as nossas atrações", explica a artista.

O circo Miller está instalado na cidade desde o dia 15 de fevereiro, mas há duas semanas precisou interromper a temporada e não pode mais fazer apresentações ao público. Ainda não há previsão de quando os espetáculos com portas abertas poderão ser retomados. Mesmo assim, Alejandra afirma que não pretende deixar a cidade de Sorocaba até a pandemia reduzir seu impacto.

"Não vamos conseguir alvará para funcionar em outra cidade nesse momento, então não adianta sairmos daqui. Temos que esperar que essa situação melhore", diz.

O espetáculo

O primeiro espetáculo online, feito no último sábado (21), rendeu ao circo pouco mais de R$ 700. O dinheiro foi distribuído entre as equipes.

Segundo a artista, o espetáculo transmitido pela internet é praticamente o mesmo que o público estava acostumado a ver sob a lona.

Entre as atrações estão palhaços, equilibristas, malabarismo, contorcionistas e diversas apresentações musicais para o público infantil. Apenas o globo da morte foi tirado do espetáculo porque os montadores eram terceirizados e foram dispensados.

Cinco famílias vivem sob as tendas do circo Miller, instalado em Sorocaba - Arquivo pessoal
Cinco famílias vivem sob as tendas do circo Miller, instalado em Sorocaba
Imagem: Arquivo pessoal

Solidariedade

A tenda circense e cinco trailers estão instalados em um terreno próximo ao Parque das Águas. De acordo com Alejandra, assim que eles tiveram que interromper os espetáculos e não tinham mais como se manterem financeiramente, o proprietário da área os deixou permanecer lá sem cobrar o aluguel. Além disso, a artista conta que a população local tem se mobilizado para ajudá-los.

"Recebemos muito o carinho das pessoas. Ganhamos muitos alimentos, cestas básicas e fraldas, porque temos duas crianças. Eles sempre vêm até nós e perguntam se precisamos de algo. É um carinho muito grande", diz Alejandra.

Entretenimento