PUBLICIDADE
Topo

Amazon bane venda da autobiografia de Hitler e outros títulos antissemitas

A Amazon acaba de banir a venda da maior parte das edições do Mein Kampf, livro autobiográfico de Adolf Hitler - Reprodução
A Amazon acaba de banir a venda da maior parte das edições do Mein Kampf, livro autobiográfico de Adolf Hitler Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

16/03/2020 17h00

A Amazon acaba de banir no Reino Unido a venda da maior parte das edições de "Mein Kampf" — "Minha Luta", livro autobiográfico de Adolf Hitler, e de diversos outros títulos antissemitas. A decisão vem após décadas de campanha de organizações contra o Holocausto.

Vendedores de segunda mão de "Mein Kampf", segundo The Guardian, foram alertados pela empresa que eles "não poderiam mais oferecer o livro", pois ele ia contra o código de conduta do site. Uma das edições banidas, da editora India's Jaico, havia atingido status de um dos livros mais vendidos na loja.

Dezenas de edições eletrônicas do livro de Hitler foram deletadas, assim como sua página de autor no site da Amazon, que permitia que os usuários acompanhassem lançamentos e novidades do führer. Várias edições da autobiografia continham centenas de críticas positivas, com a avaliação máxima de cinco estrelas.

ONGs de conscientização sobre o Holocausto e grupos judeus têm protestado desde os anos 1990 contra a venda de "Mein Kampf" pela Amazon. No entanto, a varejista sempre defendeu a liberdade de expressão e a necessidade de estudantes entenderem o pensamento de Hitler, com propósito educacional.

A empresa não quis comentar o que a fez mudar de ideia, mas o veto pode estar relacionado com a campanha da Holocaust Educational Trust contra a venda de livros antissemitas, apoiada por lideranças políticas britânicas.

No mês passado, a Amazon reconheceu as reivindicações da ONG, afirmando que estava "ciente da censura de livros ao longo da história", mas que "levava os receios da organização a sério".

A empresa já baniu a venda de livros da extrema-direita nos últimos meses, ainda que muitas edições de "Mein Kampf", em línguas que não o inglês, continuem sendo vendidas na Amazon britânica.

O UOL contatou a Amazon Brasil, que emitiu posicionamento sobre a questão no país: "Como uma livraria, nós oferecemos aos clientes acesso a uma variedade de pontos de vista, incluindo títulos que fazem um papel educacional importante no entendimento e prevenção do antissemitismo. Todos os varejistas tomam decisões sobre quais produtos eles escolhem oferecer e estamos conscientes de nossa decisão."

Entretenimento