PUBLICIDADE
Topo

Pop


Pabllo reclama de censura do Conar a clipe e diz que recorrerá na Justiça

Pabllo Vittar nas gravações de Parabéns - REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Pabllo Vittar nas gravações de Parabéns Imagem: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Do UOL, em São Paulo

21/01/2020 10h39

Pabllo Vittar usou o Instagram na manhã de hoje para criticar a restrição aos acessos do clipe Parabéns, feita por sua própria equipe após recomendação do Conar (Conselho Nacional de Autoregulamentação Publicitária). Para visualizar o vídeo, que é patrocinado pela marca de vodca Skyy, em uma parceria com o grupo Psirico, o usuário precisa ter mais de 18 anos e estar logado no site.

Em uma série de vídeos em tom de desabafo, a cantora falou de censura e chegou a afirmar que pretende acionar à Justiça, pois, em seu entendimento, o clipe não possui um conteúdo diferente de outros que estão disponíveis na plataforma e não apresentam qualquer tipo de restrição.

"Como vocês viram ontem, meninas, recebemos uma restrição de idade no clipe de Parabéns porque estou lá segurando um copo de vodca. Sendo que já havia uma mensagem lá dizendo 'beba com moderação'. E mesmo assim eles quiseram restringir para maior de idade", alfinetou Pabllo.

No fim do ano passado o Conar, que atua a partir de denúncias feitas por pessoas comuns, abriu um processo ético contra a Skyy e deliberou pedindo alterações no clipe de Parabéns, para que a publicidade da bebida, de alto teor alcoólico, fosse acessível apenas a maiores de 18 anos, com advertência legível. A Campari, dona da marca Skky, ingressou com recurso contra a decisão e o caso ainda tramita no órgão.

Pabllo Vittar que aparece segurando copo com vodca durante três segundos em clipe - Reprodução
Pabllo Vittar que aparece segurando copo com vodca durante três segundos em clipe
Imagem: Reprodução

Em nota publica em seu site, o Conar que frisa que "vinte e dois conselheiros participaram da reunião, na qual a Campari do Brasil apresentou defesa. Ainda segundo o órgão que monitora atuações publicitárias abusivas, Pabllo Vittar optou por não se defender, ainda que regularmente comunicada.

Esta não é a primeira vez que Pabllo enfrenta problemas com patrocínio de bebidas. No início de 2019, outro clipe da drag, Seu Crime, este patrocinado pela cerveja Skol, já havia sido alvo de processo ético aberto no Conar, por ter sido lançado quando a cantora tinha 24 anos, não 25, idade-limite estabelecida para garotos e garotas-propaganda neste tipo de publicidade.

Em nota, o YouTube informou que não fez nenhuma restrição ao clipe de Pabllo. A atitude partiu do usuário que subiu o vídeo no site. Ou seja, da equipe da própria cantora.

"O conteúdo do vídeo não viola as políticas do YouTube e foi enviado com restrição de idade pelo usuário que fez o envio. Configurações de restrição de idade podem ser editadas pelo YouTube Studio. Se precisar, estamos aqui para ajudar! Arrasa", informou a plataforma.

Pabllo Vittar chegou a afirmar que a razão da suposta censura vem está no fato de ser drag queen. "A gente sabe também que há vários videoclipes muito mais nocivos no YouTube, com conteúdos muito mais explícitos e não são restritos, não são banidos. Nem sequer são lembrados. Mas atacam a drag queen", explicou.

Ela ainda pediu aos fãs que ajudem a fazer o clipe bombar mesmo com classificação +18. Lançada no dia 17 de outubro, a produção soma mais de 50 milhões de views na plataforma.

"Vamos fazer de Parabéns uma das músicas deste Carnaval querendo ou não. Diga não à censura seletiva, gente! E quero que vocês saibam que isso não vai ficar assim. Eu vou recorrer na justiça. Vou ter o meu clipe de volta."

Confira abaixo o que Pabllo disse:

Pop