PUBLICIDADE
Topo

Música


"Já paguei e já fui pago por sexo", Elymar Santos conta sofrimentos da vida

Elymar Santos - .
Elymar Santos Imagem: .

Do UOL, em São Paulo

12/12/2019 10h18

O cantor Elymar Santos, atualmente com 66 anos, revelou diversas dificuldades que passou ao longo de sua vida e carreira. "Passei por sucessivos sofrimentos. Fiquei tão mal, que quis parar de cantar", contou.

Em entrevista ao jornal Extra, o cantor falou sobre como é apaixonado pela música e por cantar, mas que o caminho até o presente foi marcado por muitas dificuldades. "Já paguei por sexo e já fui pago também. Ou eu ganhava um dinheiro assim ou passava fome. Com meus 16, 17 anos, tive problemas em casa e caí no mundo. Convivi com marginais, fui preso, apanhei, dormi em banco de praça. A vida era um jiló. Não fiquei amargo, mas não posso esquecer o que vivi".

"Nasci no Complexo do Alemão, sem pai, vivi situações terríveis. Tanta coisa louca, que se me dissessem que um dia eu teria a vida de hoje, não acreditaria. Tenho uma cobertura no Leblon, mas fico pouco lá. Meu lar é Ramos. Gosto de ficar perto da minha história para nunca esquecer quem sou", falou.

Um dos momentos mais difíceis de sua carreira foi quando faleceu a sua empresária, Ângela: "Tivemos uma parceria de 25 anos. Ela cuidava de tudo, eu só me preocupava com figurino e repertório. Quando o câncer a levou, naquele 19 de janeiro de 2017, o mundo desabou".

A perda da voz em um momento da carreira também foi um momento delicado: "Fiquei num camarim todo mofado. Quando subi ao palco, a voz não saiu. Era 22 de abril, ia virar a meia-noite no Dia de São Jorge, e eu fiquei pedindo ao santo para me ajudar, desesperado". Ele demorou um ano para recuperar completamente a voz. "Eu recitava as músicas, buscava uma coisa teatral para compensar as notas que não alcançava".

Perder a voz foi difícil principalmente por causa da paixão de Elymar Santos por um palco "Eu me sinto o cara no palco. Posso estar mal, mas é só acender o refletor que tudo se transforma. No camarim, me preparando, já fico diferente. Não sei o que é nem de onde vem, mas quero que venha sempre. Tem gente sensitiva que diz ver uma entidade perto de mim. Acho que é uma mistura da paixão pela música com meu lado místico".

Música