PUBLICIDADE
Topo

Pela primeira vez, capa da People com as Pessoas do Ano vai ter 4 mulheres

Jennifer Aniston e Michelle Obama estão na capa da People como Pessoas do Ano em 2019 - Reprodução/People
Jennifer Aniston e Michelle Obama estão na capa da People como Pessoas do Ano em 2019 Imagem: Reprodução/People

Do UOL, em São Paulo

04/12/2019 13h36

Pela primeira vez, a revista People vai ter quatro capas diferentes para uma única edição sobre as personalidades que foram destaque no ano de 2019.

As escolhidas são a atriz Jennifer Aniston, a cantora e atriz Jennifer Lopez, a ex-primeira dama dos Estados Unidos Michelle Obama, e a cantora Taylor Swift.

"Nossa edição de People of the Year (Pessoas do Ano, em tradução livre) celebra as estrelas que causaram impacto em nossa cultura, os indivíduos que nos mudaram e nos divertiram", diz o editor-chefe da publicação, Dan Wakeford.

"Queríamos ver se conseguiríamos absorver um pouco de sua sabedoria. Quando nos sentamos para ver quem pensávamos que merecia essa honra, não fiquei surpreso por termos terminado com um quarteto todo feminino — este ano foi dominado por mulheres fortes", ele afirma.

people - Reprodução/People - Reprodução/People
Jennifer Lopez e Taylor Swift são duas das quatro mulheres escolhidas como Pessoas do Ano pela People
Imagem: Reprodução/People

De acordo com Wakeford, Jennifer Aniston resumiu o espírito do seu tempo em The Morning Show (série de TV americana que ela coproduziu para a Apple TV+) na cena em que ela afirma a uma sala cheia de homens: "Vocês não têm mais o poder. Vamos fazer isso do meu jeito."

Para o editor da revista, "é uma das melhores performances de sua carreira".

Jennifer Lopez foi escolhida por assinalar todas as alternativas possíveis quando completou 50 anos de idade: o zum-zum-zum em torno do Oscar por As Golpistas, que ela coproduziu; uma turnê de sucesso; uma linda família; uma próxima aparição no Super Bowl.

Em 2019, Michelle Obama tornou-se a memorialista que mais vendeu livros em todos os tempos, com Minha História, e a versão em áudio do livro foi nomeada para um Grammy - a primeira para uma primeira-dama. Em uma pesquisa da Gallup, a Sra. Obama foi nomeada a mulher mais admirada do mundo, segundo a People.

Já Taylor Swift, embora seja cantora há mais de 15 anos, teve em 2019 o encontro com sua voz, diz o editor Wakeford. Ela se levantou para proteger seus direitos criativos, falou em nome do que acreditava e continuou produzindo músicas que mostravam sabedoria e narrativa além de si mesma. Seu álbum Lover se tornou o disco mais vendido de 2019 em apenas uma semana.

As realizações são variadas, mas têm uma coisa em comum, diz o editor-chefe: "Elas surgiram quando essas mulheres se conheceram melhor e concentraram seu trabalho no que as faz felizes. O sucesso seguiu essas decisões e jornadas - e é algo com o qual todos podemos aprender".

Entretenimento