Topo

Filmes e séries


Divertido, novo As Panteras é atualização bem-vinda para a franquia

Kristen Stewart, Ella Balinska e Naomi Scott em As Panteras  - Divulgação
Kristen Stewart, Ella Balinska e Naomi Scott em As Panteras
Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

14/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Nova versão conta com Kristen Stewart, Ella Baliska e Naomi Scott
  • Filme estreia hoje nos cinemas do Brasil
  • Filme é capitaneado pela diretora e roteirista Elizabeth Banks
  • Longa se mostra uma aventura divertida, bem-humorada e afinada com os tempos atuais

Como acontece com boa parte da leva de remakes e reboots que inundou os cinemas nos últimos anos, ninguém pediu mais um As Panteras. Mas a versão 2019 para a história das espiãs, capitaneada pela atriz, diretora e roteirista Elizabeth Banks, se mostra uma aventura divertida, bem-humorada e afinada com os tempos em que vivemos.

Os closes da câmera de McG nos decotes de Cameron Diz, Drew Barrymore e Lucy Liu nos dois filmes do começo dos anos 2000, assim como as cenas de biquíni do trio liderado por Farrah Fawcett na icônica série exibida entre 1976 e 1981, ficaram definitivamente no passado. O novo trio, formado por Kristen Stewart, Ella Balinska e Naomi Scott, ainda veste roupas fabulosas, dança e usa a sensualidade a seu favor - mas o faz de uma forma muito mais natural, espontânea e (por que não?) engraçada.

O tom é estabelecido logo na cena de abertura, situada no Rio de Janeiro. "Eu acho que mulheres podem fazer qualquer coisa", diz Sabina (Stewart) a um estelionatário que tenta seduzi-la, momentos antes de prendê-lo e derrotar seus seguranças, com a cooperação de Jane (Balinska), ex-agente do serviço secreto britânico. Daí em diante, o roteiro de Banks não só brinca com o machismo dos adversários das Panteras, como também aproveita para subverter alguns clichês do gênero - colocando, por exemplo, o galã do momento Noah Centineo como um interesse romântico, em uma participação de luxo.

Elizabeth Banks é diretora, roteirista e atriz em As Panteras - Divulgação
Elizabeth Banks é diretora, roteirista e atriz em As Panteras
Imagem: Divulgação

É a cooperação do trio principal, no entanto, o principal motor da história. Um ano depois dos acontecimentos no Rio, Sabina e Jane são reunidas para uma nova missão: ajudar Elena (Scott), programadora que quer impedir o lançamento de um produto que pode ser usado para matar sem deixar traços. No processo, elas contam com o auxílio de Bosley (Banks), agora um cargo dentro da agência Towsend, que expandiu suas operações internacionalmente.

Ao longo da trama, elas vão encontrando apoio uma na outra, enquanto exploram os pontos fortes de suas personalidades: Sabina é irônica e sagaz (e dona de algumas das melhores falas do filme); Jane é a lutadora mais experiente do grupo; e Elena, uma expert em programação, traz um olhar ingênuo que ajuda a guiar o espectador dentro da história. As três atrizes funcionam em seus papéis e em conjunto, mas o maior destaque é Stewart, que surpreende positivamente com uma atuação enérgica e divertida, bem distante de seus tempos em Crepúsculo.

O humor, especialmente bem trabalhado por Stewart, é uma das grandes estrelas do filme. Apesar de as piadas não estarem plenamente azeitadas nos minutos iniciais do filme, não demora para elas entrarem no ritmo - o que ajuda a compensar uma história que é, em muitos momentos, previsível e pouco inventiva.

As cenas de ação também divertem, apesar de não trazerem nada de novo, e são conduzidas com segurança por Banks, uma estreante no gênero (seu único crédito de direção até então havia sido A Escolha Perfeita 2). A trilha sonora pop, produzida por Ariana Grande e estrelada por cantoras como Normani, Anitta e Miley Cyrus, é um bom complemento ao clima girl power do filme.

O novo As Panteras não é perfeito, mas consegue deixar um sorriso ao fim da sessão, enquanto ainda se mantém fiel ao DNA da franquia. Fique de olho em algumas participações mais do que especiais que surgem no início e no fim do longa.

Filmes e séries