Topo

Pop


Sandy e Junior ganham Rock in Rio personalizado em último show de turnê

Pauline Almeida

Colaboração para o UOL, no Rio

10/11/2019 05h04

Um Rock in Rio de Sandy e Junior. Essa é a definição do show de encerramento da turnê Nossa História que aconteceu na noite de ontem, na zona oeste do Rio. Assim como no festival, que rolou no início de outubro, 100 mil pessoas estiveram reunidas no Parque Olímpico. Porém, nada de várias atrações. O público só tinha olhos para os irmãos.

Junior chegou a lembrar que ele e Sandy tocaram no Rock in Rio de 2001 e comemorou a "edição personalizada"', recebendo a saudação dos fãs. A plateia, aliás, vibrou sem parar ao longo das 2h30 de show, com músicas que percorrem as várias fases dos 30 anos de carreira dos dois.

Como já virou tradição na turnê, a apresentação começou com os irmãos de mãos dadas e a música Não Dá pra Não Pensar, que levou os fãs à loucura.

O público recebeu muito carinho da dupla, que viu os ingressos da turnê se esgotarem rapidamente em todas as cidades por onde passaram. Sandy disse que se orgulha da carreira construída, mas que acha ainda mais bonita a possibilidade de poder construir novas memórias com os seus fiéis seguidores.

A turnê Nossa História também consagrou a maturidade dos cantores. Sandy se mantém com a voz que sempre cativou o público, agora ainda mais segura. A grande surpresa é Junior. Ele deixa de ser uma segunda voz da irmã e se torna uma estrela, que dança, toca e canta. A evolução fica clara na divisão do show, com músicas que dão destaque aos dois de forma igualitária.

Sandy brilha em Imortal. O público fica em silêncio para vê-la atingir a última nota e sobram arrepios. Já Junior seduz em Enrosca, faz uma coreografia em que interage com um cenário projetado (atrapalhado pela grua que filmava imagens para um especial sobre a turnê Nossa História, anunciado pela Globoplay) e mostra um solo de bateria.

O público cumpriu o papel de animar, cantar e chorar com a nostalgia despertada pelas letras que marcaram a infância e adolescência de muita gente. Como a dupla, seguiu sua função sem surpresas e polêmicas.

A nostalgia bateu forte quando, nos telões do show, apareceu uma conversa entre os ex-integrantes do seriado Sandy e Junior, que deu grandes amigos à dupla, como Paulinho Vilhena e Fernanda Paes Leme, ambos presentes no encerramento da turnê.

"Um ano lindo, especial, de shows lotados, inesquecíveis. Acho que o coração deles lotou de amor, de afeto, dos fãs também e o nosso também", destacou Fernanda.

Veio, então, o momento mais dançante com um medley com canções como Beijo é Bom, Etc... e Tal e Vai Ter que Rebolar. Em seguida, um momento intimista do show, em que Sandy e Junior passaram por um corredor entre o público e se colocaram em cima de uma tenda construída no meio do Parque Olímpico para canções apenas com voz e violão. Tiveram a ajuda do público para entoar Ilusão e Era uma Vez.

Na volta ao palco, enquanto atendiam o público no corredor, os fãs cantaram por eles Inesquecível, uma das canções mais emblemáticas da carreira da dupla.

A chuva prometida para o Rio de Janeiro não veio, mas foi substituída um temporal de papel com o público dançando muito ao som de Cai Chuva.

Enquanto os irmãos se preparavam para a parte final, o público cantou à capela Quando Você Passa, o famoso Turu Turu, atendidos em seguida por Sandy e Junior, que terminaram a turnê colorida e cheia de vida com Vamo Pulá, com direito a fogos, canhões de fitas e bolas coloridas rolando pelo público.

Confusão na saída

O clima de afeto e nostalgia, no entanto, foi substituído por muita irritação na saída do estádio. Eram poucos portões abertos para as 100 mil pessoas, o que gerou reclamações e empurra-empurra.

A turnê Nossa História termina com um Junior visivelmente emocionado em diversos momentos e uma Sandy empolgada em comemorar e relembrar a carreira construída com o irmão.

Eles, a todo tempo, tentaram mostrar a forte ligação que possuem com os fãs e destacaram bem que não são apenas os dois inseparáveis, mas também a dupla e seu público fiel.

Para ficar na memória

Nostalgia pura

Haja saudade da infância e adolescência quando se ouve Sandy e Junior! A nostalgia atingiu níveis máximos quando o telão mostrou uma conversa simulada entre os ex-participantes do seriado Sandy e Junior, exibido entre 1999 e 2002 na Globo. Foi hora de lembrar do amor da Patty pelo Gustavo, do mal-educado Boca e do nerd Basílio. O momento foi coroado com a dupla cantando a música de abertura do programa, "Eu Acho que Pirei".

Junior, o dono do palco

Se alguém achava Junior apenas a segunda voz da irmã quando era adolescente, viu um homem maduro e charmoso no palco. Ele cantou músicas sozinho, sem a doce voz de Sandy. Arrasou na dança e ainda bancou um solo de bateria, que arrancou gritos de "Lindo, tesão, bonito e gostosão", famoso hino das plateias nos anos 1990 e 2000. "Isso entrega a idade", brincou.

Voz de Sandy

A voz da cantora melhorou ainda mais com os anos e conseguiu arrancar suspiros de uma plateia que ficou em silêncio para ouvi-la em Imortal.

Turu Turu

Se o coração do público pulsa mais forte ao ver a dupla, ganha ainda mais batidas quando a música é Quando Você Passa, a famosa Turu Turu, que quase virou tema da turnê, levada em várias camisetas dos fãs. Enquanto a dupla se preparava para a parte final do show, o público cantou acapella. Afinal, quem nunca cantarolou: "Nem estou dormindo mais, já não saio com os amigos, sinto falta dessa paz, que encontrei no seu sorriso".

O pulo foi alto

Não faltou pirotecnia para o momento final, que deixou tudo ainda mais lindo e colorido. Enquanto 100 mil pessoas pulavam loucamente, obedecendo os versos de Vamo Pulá, vieram fogos, canhões de papel e fitas, além de bolas coloridas rolando pelo público, dando ares de espetáculo ao encerramento da turnê que passou por Brasil, Portugal e Estados Unidos, com casas sempre lotadas.

Pop