Topo

Entretenimento


Glenn após agressão: "Violência no debate político é mentalidade fascista"

Do UOL, em São Paulo

07/11/2019 15h27

Glenn Greenwald se manifestou hoje, com um vídeo publicado em seu perfil do Twitter, após ser agredido por Augusto Nunes durante o programa "Pânico", da Jovem Pan.

"Sobre Augusto Nunes e o apoio do movimento bolsonarista ao uso da violência na política. Violência no debate político é a mentalidade fascista e muito perigoso pra democracia", escreveu ele na publicação.

No vídeo, Glenn está sentado e fala diretamente com a câmera. "Eu queria discutir, obviamente, o absurdo de hoje com o Augusto Nunes. Primeiramente, queria lembrar todos vocês como isso começou: seis ou oito semanas atrás, na Jovem Pan, o Augusto Nunes disse uma coisa sobre nossa família, que era a coisa mais feia e suja que eu ouvi na minha carreira como jornalista. Ele disse que um juiz de menores deveria investigar nossa família para determinar se nossos filhos deveriam ser removidos e voltar para seu abrigo. Essa é a coisa mais feia, porque todas as pessoas decentes sabem que você não usa filhos menores contra pessoas no debate político", começou.

"Mas a coisa mais importante que eu disse é que ele é covarde, e estou falando isso de novo, porque tem milhões de brasileiros e pessoas no mundo todo, inclusive seus próprios chefes e colegas na Jovem Pan, da revista Veja e da Record que também têm filhos, e os dois pais trabalham por necessidade financeira ou vontade. Mas ele nunca falaria isso sobre seus colegas, seus chefes e sobre milhões de brasileiros que trabalham fora de casa, mas cuidam de seus filhos muito bem. Ele só falou isso sobre nós", acrescentou Glenn.

"Mas a coisa mais importante ainda, usar sua força física e violência no debate político é uma coisa muito grave. Agora estamos vendo, e isso não deve surpreender ninguém, que o movimento do Bolsonaro, o Olavo [de Carvalho] e o PSL estão aplaudindo e apoiando o uso da força física e violência no debate político. É um movimento fascista, e fascistas pensam assim. Eles querem violência. Eu acredito muito no diálogo com pessoas de ideologias diferentes, por isso fui à Jovem Pan. Mas este princípio que eles estão apoiando, no qual é justificado usar violência, pode muito fácil ir para as ruas, para o debate político. Isso é muito grave", concluiu o jornalista.

O jornalista Augusto Nunes, da Jovem Pan, Veja e Record, agrediu Glenn Greenwald, do The Intercept, durante participação no programa "Pânico". A confusão ocorreu depois de Glenn chamar Nunes de "covarde" por ter feito comentários sobre seus filhos com o deputado David Miranda.

Após a agressão, o apresentador Emilio Surita suspendeu o programa por 12 minutos. Na volta, Augusto Nunes tinha deixado a atração, enquanto Glenn continuava na bancada.

Como foi a agressão

A confusão começou logo após Glenn questionar Nunes se um juiz deveria investigar sua família.

"Nós temos muitas divergências políticas, eu não tenho problema nenhum em ser criticado pelo meu trabalho - eu critico ele também. Mas o que ele fez foi a coisa mais feia e suja que eu vi na minha carreira como jornalista, inclusive fazendo guerra com CIA, governo Obama, governo do Reino Unido. Ele disse que um juiz de menores deveria investigar nossos filhos e decidir se nós deveríamos perder nossos filhos. (Que) eles deveriam voltar para o abrigo, com base nenhuma. Acusando que estamos abandonando, fazendo negligência de nossos filhos. Eu quero saber se você acredita que um juiz de menores deveria investigar nossa família com possibilidade de tirar nossos filhos de nossa casa, sem pai nem mãe, sem família nenhuma", disse Glenn.

"Essa é a prova de que o Brasil criou o faroeste à brasileira. Quem tem que se explicar é quem comente crimes, quem fica cobrando quem age honestamente. Ouça-me: o que eu disse, vocês vão perceber, é que ele não sabe identificar ironias, não sabe identificar um ataque bem-humorado. Convido ele a provar em que momento eu pedi que algum juizado fizesse isso. Disse apenas que o companheiro dele passa tempo em Brasília, passa o tempo todo lidando com material roubado. Quem vai cuidar dos filhos?", respondeu Nunes.

Glenn reagiu: "Você é um covarde! Você é um covarde! Eu vou falar o porquê". Ele então foi interrompido por Nunes. A primeira tentativa de agressão não deu certo, mas depois Nunes atingiu o rosto de Glenn. O norte-americano tentou revidar, mas não conseguiu.

A volta ao ar

Depois de cerca de 12 minutos, o programa voltou ao vivo. A Jovem Pan pediu desculpas pelo ocorrido. "Não foi nada irônico. (...) Ele nunca falaria que um juiz deveria investigar se os chefes que têm filhos, onde as duas pessoas trabalham. Ele só fala isso sobre nós. Isso é covardia", disse Glenn.

Entenda o caso

O desentendimento entre eles começou em 1º de setembro. Crítico do jornalismo praticado pelo The Intercept com as revelações de conversas privadas entre os procuradores da Operação Lava Jato, Nunes falou na Jovem Pan sobre os filhos de Glenn e Miranda. Veja abaixo:

A reação

Marido de Glenn, David Miranda usou as redes sociais para comentar a agressão. "Esse canalha usou nossos filhos p/ atacar o trabalho do meu marido. É tão covarde que não consegue escutar a verdade cara a cara e partiu para agressão física. Se os veículos em que ele trabalha forem sérios, vão demitir esse jornalista sem ética e escrúpulos. #SomosTodosGlenn", escreveu no Twitter.

Entretenimento