Topo

Entretenimento


Kesha confirma álbum para dezembro e diz que será mais feliz que "Rainbow"

A cantora Kesha, no Billboard Music Awards - Frazer Harrison/Getty Images
A cantora Kesha, no Billboard Music Awards Imagem: Frazer Harrison/Getty Images

Do UOL, em São Paulo*

18/10/2019 17h01

A cantora Kesha confirmou que seu novo álbum, o quarto gravado em estúdio mas ainda sem nome, estará pronto em dezembro. "Nesse disco, eu pude explorar minha felicidade e recuperar todas as diferentes formas, maneiras de usar minha voz ", diz ela."Ela não pertence a mais ninguém ", afirmou a cantora norte-americana ao site EW (Entertainment Weekly).

Enquanto seu álbum indicado ao Grammy de 2017 estava prestes a sair da escuridão — o álbum veio depois que Kesha acusou o ex-colaborador Dr. Luke de agressão sexual e abuso físico; ele negou as acusações e contestou a difamação, e o caso ainda está em andamento —, o novo projeto dela abrange como é aproveitar o sol depois da tempestade.

"Se você continuar empurrando através da escuridão, encontrará um arco-íris, e eu sinto que finalmente cheguei lá", ela reflete. "Quero que isso seja inspiração para outras pessoas, abraçando o lado vulnerável de mim mesma, mas também o lado forte e a pessoa que quer levar uma vida alegre, feliz e livre".

Parte disso está voltando ao pop dance de seus dois primeiros álbuns e se apaixonando por sua imagem de espírito livre. Desta vez, porém, foi nos termos dela. "Já me disseram para me divertir antes, mas agora estou realmente me divertindo", diz.

"Eu não sou apenas uma coisa. Eu não sou apenas a festeira, e não sou apenas uma tragédia. Sou uma quantidade infinita de coisas e não quero ser colocada em uma caixa específica".

No entanto, o álbum não teve início assim. Kesha começou a escrever imediatamente após o final de sua última turnê e se viu retornando às vibrações introspectivas e às vibrações de cantora-compositora de "Rainbow". Quando o irmão sugeriu que ela tentasse fazer uma música pop novamente, ela relutantemente deu uma chance. "Voltei para perceber que eu adorava música pop", diz ela. "Eu estava me privando de algo que amava muito porque não deveria me divertir. Há uma beleza no escapismo do que a música pop dá às pessoas e estar ciente disso. Eu gosto disso. Eu uso isso. Música é minha terapia."

O novo projeto também tem Kesha revisitando os vocais inflecionados pelo rap de seu trabalho anterior, que ela chama amorosamente de "não fala". "Decidi retomar essa parte da minha voz", explica. "Parecia que não me pertencia. As pessoas sabem das coisas difíceis pelas quais passei e isso me fez perceber que tenho permissão para ser feliz. Eu não tenho que viver no passado. Não preciso ser definida por algo que aconteceu comigo. Posso estar presente, encontrar compaixão por mim mesma e sair tendo uma vida realmente incrível ainda. Felizmente, isso dá esperança às pessoas."

Os gostos musicais atuais de Kesha estão por todo o mapa - de Carly Rae Jepsen aos Cars, Black Sabbath e Madonna -, e as inspirações do novo álbum são igualmente diversas: The Beach Bum, de Harmony Korine ("Como vagabunda, eu me relaciono muito com esse personagem ", diz ela), música country dos anos 1990 e nadar com tubarões no México.

"Acabei de perceber que sou viciada em adrenalina e provavelmente sempre serei", reflete. "Adoro fazer coisas que me assustam, e para quem quiser ter um relacionamento comigo, deve saber disso com antecedência. Eu sou um espírito selvagem. Sou uma flor silvestre e sempre vou perseguir a tempestade."

Além de seus próprios interesses e experiências de vida, Kesha se voltou para vários colaboradores do novo disco, incluindo Wrabel, Tayla Parx, Dan Reynolds, da Imagine Dragons, Nate Ruess e Justin Tranter. "Meu processo de fazer música funciona melhor quando estou com pessoas que conheço, com quem me preocupo, me sinto confortável e estamos realmente nos divertindo muito", explica ela. "É quando a verdade surge e é quando as melhores músicas nascem."

Não importa com quem ela estava trabalhando, ela decidiu escrever um disco sem limites e explodir a noção de que um álbum precisa de um som definido. "O tema abrangente está recuperando minha voz", diz ela. "Tenho orgulho de dizer que, ao criar músicas felizes, senti muita alegria voltando à minha vida. [Eu sou] uma mulher crescida que já passou por alguns momentos, e realmente estou apenas recuperando me sentir bem e me divertir."

*As informações são do site Entertainment Weekly.

Entretenimento