Topo

Rock in Rio


No Rock in Rio, Imagine Dragons se derrete pelo Brasil: "Coração explodindo"

do UOL

06/10/2019 23h44

Em sua quarta visita ao Brasil, Imagine Dragons agitou o público no Palco Mundo do Rock in Rio 2019. Por aqui, a banda já havia tocado também no Lollapalooza, em 2018 e em 2014. Dessa vez, eles fizeram sua estreia no festival carioca.

Abrindo para o Muse, o Imagine Dragons apresentou hoje mais um de seus concertos pop com cara de ópera rock: uma comunhão indie pop como pouco se vou até aqui no Rock in Rio. O festival foi invadido por uma onda positiva, good vibe, de amor, como se todos os problemas sociais, políticos e econômicos tivessem desaparecido.

O vocalista Dan Reynolds, além de encantar a plateia, voltou a demonstrar todo seu amor pelo público brasileiro. Entre uma música e outra, ele parava, interagia e não tirava o sorriso do rosto, parecia realmente feliz de estar novamente no país.

"Eu espero que vocês sintam meu coração explodindo de amor por vocês essa noite, eu amo vocês", disse o cantor em uma de suas declarações. Reynolds também demonstrou seu respeito pelos direitos trans e LGBT+ ao levantar e cantar com a bandeira da causa e mandou a mensagem: "Vocês são livres para serem vocês".

Outro momento tocante foi antes da emotiva Birds, o cantor compartilhou um discurso sensível. "Eu perdi meu melhor amigo para o suicídio, meu irmão perdeu a mulher para o câncer, eu não sei como, mas ainda vamos nos encontrar em algum lugar", disse Dan.

Interações à parte, o Imagine Dragons levantou todo mundo com seus grandes hits, Believer, It's Time, Whatever It Takes, Gold, On top of the World e muitos outros. O coro de Demons, uma das músicas mais famosas da banda, foi outro ponto alto do show.

Fãs do Imagine Dragons cantam Radioactive no Rock in Rio

UOL Entretenimento

Show gay friendly

Conhecido por apoiar a causa LGBT e o discurso pela diversidade, o vocalista Dan Reynolds logo de cara se agarrou a uma bandeira do movimento e fez questão de dizer por que estava ali: primeiro lugar, para mandar um bom pop rock, na escola Coldplay, e também para mostrar que o mundo, mais do que nunca, precisa se unir, sem preconceitos de raça nem distinção de gênero. Foi ovacionado com o discurso.

Raízes brasileiras

Reynolds surpreendeu muita gente - não os fãs mais dedicados - ao falar sobre suas raízes brasileiras. "Cinquenta anos atrás, meu pai viveu aqui no Rio, por dois anos. E hoje é a primeira vez que ele volta, está aqui no backstage. Ele ainda mantém o amor e paixão pelo povo brasileiro. Sempre temos guaraná na geladeira em casa. Sempre que tem um jogo de futebol, torcemos pelo Brasil. O destino me preparou para estar aqui."

Dance, dance

Não acontece com todos os shows de bandas com sonoridade semelhante a do Imagine Dragons, mas o show no Rock in Rio foi dançante. O groove positivo foi salpicado em diversas músicas e momentos, que fizeram a maior parte do público dançar, mesmo sem perceber. E nem todos eram fãs. Quem não tinha espaço dava um jeito de ensaiar os passinhos. Quem tinha, mais ao fundo da plateia, dava seu showzinho.

Cover de Police

Parece regra no Rock in Rio as bandas mandarem covers de Queen para puxar a galera e homenagear as raízes do festival, que teve os britânicos como uma de suas principais atrações em 1985. Mas o Imagine Dragons fez diferente. Nada de Love of my Life ou We Are the Champions, mas Every Breath You Take, do The Police, executada em versão curta. Clássico é clássico. Adivinhem? Todo mundo cantou junto.

E a camisa?

Seguidores do Imagine Dragons se acostumaram ao momento em que Reynolds não se aguenta de calor e tira a camisa sem estampa, exibindo a ótima forma física. E rolou, e bem antes do clímax da apresentação, o hit Radioactive, que fez o Rock in Rio viver um colorido sonho indie. Poderia estar calor ou nem tanto. É a marca registrada do cantor.

Dan é gente como o Jon Bon Jovi

Poucas das banda principais do Rock in Rio liberaram a tirolesa, atração do festival que cruza a plateia bem à frente do palco, fazendo barulho e chamando atenção. A banda ligou muito pra isso. Reynolds, por sinal, faz o tipo gente como a gente: toca percussão, fala sobre questões familiares, conversa com fãs e faz o máximo possível para tornar a apresentação intimista, e acessível. Na maioria das vezes, é bem-sucedido no esforço, e isso ajuda a explicar a força do Imagine Dragons junto ao público jovem.

Hoje é o último dia do Rock in Rio 2019. Além do Imagine Dragons, Muse ainda se apresentará no Palco Mundo. O Terno e Capitão Fausto abriram o palco Sunset, seguidos por Melim & Carolina Deslandes. São 14 horas de shows por dia, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, com nove palcos e espaços, além da programação nas arenas.

Rock in Rio