Topo

Rock in Rio


Rock in Rio nega ter feito campanha em que simula incêndio na Amazônia

Reprodução
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

19/09/2019 11h54

A organização do Rock in Rio negou ser responsável por um vídeo que circula nas redes sociais, que atraiu críticas ao evento. Nas imagens que viralizaram, fala-se na produção de uma campanha que teria simulado uma queimada na Amazônia, conforme divulgado também pela imprensa do Amazonas.

"A organização do Rock in Rio desconhece o conteúdo que está circulando na mídia e nas redes sociais que traz um vídeo que simula um incêndio na Amazônia. Reitera também que não tem qualquer envolvimento com esta produção", disse a organização do festival em comunicado.

Além do vídeo com a explicação da campanha - que não cita queimadas -, sites de notícias de Manaus afirmam que a produtora Maria Farinha Filme provocou incêndio no município de Presidente Figueiredo para colocar em prática o filme publicitário.

O vídeo que circula nas redes mostra um homem em uma área de floresta, explicando o que seria a campanha: "É um filme que vai passar na abertura do Rock in Rio. É para falar sobre a preservação da Amazônia. Vou te contar a história. No começo a gente mostra esse caos, onde as pessoas estão passando por um lugar, tendo queimada e as pessoas estão derrubando árvore. Então, ela encontra uma menina, que é uma personagem nossa, que ela apaga, fala: 'Estou sem ar'", descreve ele.

"Ela encontra essa menina, e a gente tem essas imagens dela numa gruta, num momento mais sensorial, onde ela faz uma viagem no tempo. Passando isso, ela chega em 2045. A gente filmou ontem, no rio Ariaú, que é a Amazônia toda preservada. (..) Até que a gente chega num momento, no final desse filme, em frente a uma samaúma muito grande, onde todas as pessoas estão indo lá para celebrar esse momento", adiciona.

Segundo Paulo Lins, secretário de Turismo de Presidente Figueiredo, a produtora pediu permissão para filmar no local. No entanto, denunciou: "Esse pessoal enganou todo mundo lá, disseram que iam fazer uma filmagem na caverna aí foram para um sítio, desmataram, tocaram fogo e passaram a filmar a queimada. A gente desconfia que isso é para alguma ONG Internacional ou política contra o Bolsonaro, o meio ambiente suspendeu a licença de filmagem, autuou os responsáveis e o delegado parece que vai instaurar inquérito. Isso aconteceu, quinta-feira (12) passada", disse ele, ao Correio da Amazônia.

A organização do festival afirmou que "o Rock in Rio aborda temas sociais e de sustentabilidade, desde 2001, somente pela ótica positiva e jamais trabalharia com imagens de desmatamento, pelo contrário. O evento, desde 2006, planta árvores em diversos países. E, a partir de 2016, concentrou seus esforços na Amazônia, com o projeto Amazonia Live", adicionou a nota enviada à imprensa.

O festival está marcado para acontecer na capital fluminense entre 27 e 29 de setembro e entre 3 e 6 de outubro.

Produtora de manifesta

Em nota enviada ao UOL, a Maria Farinha Filmes explica que as gravações de um curta de ficção que se passa na Floresta Amazônica ocorreram nos dias 12 e 13 de setembro, mas nega qualquer tipo de irregularidade.

"A filmagem aconteceu no município de Presidente Figueiredo, a 120 km de Manaus. Como parte do roteiro, foi ambientada uma cena com efeitos especiais que simulavam o visual de um incêndio. A locação escolhida para a cena, com o devido termo de autorização, era uma propriedade particular que já estava sendo preparada para o plantio de mandioca (...) Por conta da fumaça gerada, a partir de fogueiras simuladas, a polícia foi acionada. O delegado esteve no local e verificou a legalidade de tudo o que estava ocorrendo no cenário, assim como representantes da Secretaria municipal do Meio Ambiente. Depois dos esclarecimentos, as gravações seguiram normalmente."

A produtora isenta ainda a organização do Rock in Rio de qualquer responsabilidade, e diz que a ideia inicial era exibir o filme na abertura do festival.

"Por conta do compromisso histórico do Rock in Rio com a Amazônia, a produtora tinha planos de oferecer o curta para exibição na abertura do festival. Isso sequer chegou a ser feito. O curta seguirá sua carreira e será lançado normalmente. Reiteramos, portanto que o Rock in Rio não mantém nenhum envolvimento com o projeto."