Topo

Filmes e séries


Christopher Eccleston, ator de Doctor Who e Thor 2, revela luta contra anorexia

Christopher Eccleston como o vilão Malekith, em Thor: O Mundo Sombrio - Reprodução
Christopher Eccleston como o vilão Malekith, em Thor: O Mundo Sombrio Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

16/09/2019 10h18

O ator Christopher Eccleston é mais conhecido pelos fãs por sua temporada como Doctor Who, no retorno da série de ficção científica em 2005, e por viver o vilão Malekith em Thor: O Mundo Sombrio. Em sua nova autobiografia, no entanto, o britânico revelou um aspecto até estão desconhecido de sua vida pessoal: a luta contra a anorexia.

No livro I Love the Bones of You (Eu Amo os Seus Ossos, em tradução livre), ainda sem previsão de lançamento em português, Eccleston conta porque hesitou em revelar sua batalha contra o transtorno alimentar. As informações são do jornal Metro UK.

Christopher Eccleston com Billie Piper em Doctor Who - Reprodução
Christopher Eccleston com Billie Piper em Doctor Who
Imagem: Reprodução

"Eu sempre considerei esse um segredo sujo, porque sou do Norte [do Reino Unido, considerada uma região 'rústica'], porque sou homem e porque sou da classe trabalhadora", contou.

"A doença ainda estava em mim enquanto eu trabalhava em Doctor Who. As pessoas amam o meu visual na série, mas eu estava muito doente. A recompensa pela doença foi aquele papel". afirmou ainda.

Eccleston também foi diagonisticado com depressão, em 2015, quando chegou ao fim o casamento com Mischka Eccleston, mãe de seus dois filhos. O ator relatou no livro que chegou a consiuderar suicídio.

"Eu estava em um estado de ansiedade extrema, convencido que iria morrer ou me matar. No meu desespero, eu peguei o telefone e liguei para um hospital psiquiátrico. Eu liguei, peguei minha mochila e corri para lá", disse ainda.

A internação ajudou Eccleston, também conhecido por filmes como Cova Rasa, Os Outros e G.I. Joe: A Origem de Cobra, a se recuperar. No livro, ele confessou ainda que faz uso de antidepressivos: "É possível que eu precise deles pelo resto da minha vida".