Topo

Comédia

Tudo o que você precisa saber sobre filmes e séries de comédia


Gustavo Mendes se defende após bate-boca por Bolsonaro: "Botei pra correr"

Do UOL, em São Paulo

31/08/2019 15h21

Gustavo Mendes se manifestou na tarde de hoje sobre o bate-boca com alguns espectadores que assistiam a sua apresentação na cidade mineira de Teófilo Oton. A confusão começou após o humorista fazer uma piada com o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

"Muita gente deve estar sabendo o que rolou. Uma tentativa de censura, mas comigo não, violão! Eu fiz uma piada com o Bolsonaro no meu papel de comediante e algumas pessoas se revoltaram, tentaram impedir o show. Botei eles para correr. Botei para fora do meu show. Fascista não tem lugar no meu show. A causa é maior. O problema deles não eram as piadas com política. Eu pautei minha carreira em cima de política", disse, em vídeo publicado nas redes sociais.

Mendes, que ficou famoso pela paródia com a ex-presidente Dilma Rousseff, disse que foi alvo de uma tentativa de censura. "O problema deles era o fascismo, o autoritarismo e achar que podiam calar um artista que sempre fez questão de ter voz, de falar as suas posições, mesmo que isso me custasse um alto preço. Censura, não!", continuou

Gustavo Mendes diz que foi alvo de censura em show; assista ao vídeo completo:

O bate-boca com a plateia

Em um vídeo postado no Twitter, uma pessoa aparece do lado de fora da apresentação e diz que a discussão foi após críticas ao presidente Bolsonaro: "Aí, o show de Gustavo Mendes aí, olha o que virou. O otário do Gustavo Mendes começou a falar mal de Bolsonaro, num público que 90% é eleitor de Bolsonaro. Começou a falar mal de Bolsonaro, começou a falar de política, o público levantou e acabou com o show dele."

Um vídeo mostra a discussão, com Gustavo expulsando pessoas da plateia, enquanto falava sobre Macron e a França e dizia que "todos os países da União Europeia estão errados". Neste momento, críticas são ouvidas da plateia, e o humorista reage.

"Que que é? Bolso o quê? Pode ir embora, eu devolvo o seu dinheiro. Eu tô respondendo uma crítica. Não fala todo mundo junto, não. Eu não tenho problema nenhum em expor opinião política. Quando expõe opinião política, eu ponho a minha. Entendeu? A real agora: pode levantar vocês aí, eu devolvo o dinheiro de vocês, porque eu quero vocês fora", disse ele, que, hostilizado, também respondeu com palavrões. "Tchau, quem não quer sou eu. Vocês gritam no Facebook, aqui na minha cara não."

Os vídeos causaram reações polarizadas no Twitter. De um lado, acusações de censura e de fascismo. De outro, apoiadores de Bolsonaro hostilizando e xingando o humorista.

Mais Comédia