Topo

Terror

Tudo o que você precisa saber sobre filmes, séries e livros de horror


Como Stephen King foi convencido a apoiar sequência de O Iluminado

Ewan McGregor como Danny Torrance em Doutor Sono - Divulgação
Ewan McGregor como Danny Torrance em Doutor Sono Imagem: Divulgação

Eduardo Pereira

Do UOL, em São Paulo

26/06/2019 04h00

Stephen King não é um fã de O Iluminado. Dirigido por Stanley Kubrick, o clássico de 1980 adapta os acontecimentos sobrenaturais narrados do romance homônimo de King com um viés mais dúbio, psicológico e secular que, para o escritor norte-americano, traíram sua visão. Em resposta, o autor não só escreveu e produziu uma minissérie de TV (fraquíssima), como também lançou uma sequência para o livro original em que ativamente refuta todas as mudanças levadas às telas de cinema: Doutor Sono.

"Eu sempre pensei que a maior diferença entre a minha perspectiva e a de Kubrick era essa: no meu romance, a história termina em fogo, e no filme dele, em gelo", critica King no documentário A Night At The Movies: The Horrors of Stephen King (2011). "Eu costumo descrever O Iluminado, o filme, como um belo carro, mas sem motor".

Neste ano, o diretor Mike Flanagan leva às telas a sua visão dessa continuação - sua segunda adaptação de Stephen King, após o excelente Jogo Perigoso, da Netflix. É um projeto que já seria ambicioso se tentasse só transportar a obra de King ao cinema, mas que extrapola expectativas ao se revelar mais que isso: o cineasta espera conseguir unir as visões de King e Kubrick, que morreu em 1999, num filme que sirva tanto como adaptação fiel (em espírito) ao autor e continuação do clássico estrelado por Jack Nicholson. O mais surpreendente: com o apoio explícito do escritor.

"A conversa que tínhamos de ter era se conseguiríamos fazer tanto uma adaptação fiel ao livro [Doutor Sono], mantendo as bases postas ali por King, quanto continuar habitando o universo criado por Kubrick", explicou Flanagan à publicação norte-americana Entertainment Weekly. "E essa era uma conversa que, para podermos começar com tudo, tínhamos de ter com o próprio Stephen King. Se ela não tivesse seguido o caminho que seguiu, não teríamos feito o filme".

O segredo para convencer o autor a endossar o projeto, segundo o cineasta, foi tentar explicar meticulosamente por que era essencial ao projeto retomar, acima de tudo, as imagens de Kubrick que estabeleceram o Hotel Overlook - onde tanto livro quanto filme se passam. "Nosso argumento deu surpreendentemente certo, e saímos da conversa não só com sua bênção para fazer o que fizemos, como também seu encorajamento".

DOUTOR SONO - Trailer Teaser Oficial

UOL Entretenimento

No Twitter, King reagiu ao primeiro trailer oficial de Doutor Sono com uma promessa: "Esse filme vai explodir suas mentes". Digna recompensa para Flanagan, que citou a busca pela aprovação do projeto como responsável por "dois dos momentos mais estressantes de toda a sua carreira": "O primeiro foi o envio do roteiro para Stephen King, e isso foi extremamente assustador, mas felizmente ele amou. E o segundo foi ao final [da pós-produção], quando o filme foi enviado para Stephen e para a família de Kubrick. Ambos responderam muito bem".

Quem também respondeu bem às primeiras imagens da sequência foram os fãs, que acabaram brindados com recriações fiéis de sets e cenas do O Iluminado original já na prévia de Doutor Sono. No Twitter, Flanagan garantiu: apenas um take mostrado no trailer oficial foi tirado do original "kubriquiano". O restante foi criado do zero para remeter ao clássico filme, mas não necessariamente recriá-lo milimetricamente.

"Essa sempre foi a esperança, entrando nesse projeto: que em algum universo, tanto Stephen King quanto a família de Kubrick fossem amar este filme. Esse era o sonho", cravou Flanagan. Se o sentimento se repetirá entre fãs do livro e do filme originais, só saberemos a partir de novembro, mês previsto para a estreia de Doutor Sono.

No filme, o filho do perturbado Jack Torrance (Jack Nicholson), Danny Torrance (Ewan McGregor), retorna aos 40 anos para salvar uma jovem (Kylieigh Curran) que partilha dos mesmos dons paranormais que ele. A jovem é perseguida por um culto de vampiros de energia: seres que se alimentam dos poderes espirituais. Para isso, é forçado a mergulhar nos traumas do passado deixados pela viagem ao sombrio Hotel Overlook, décadas atrás. Rebecca Ferguson (Missão Impossível - Efeito Fallout) vive Rose the Hat, a principal vilã da trama.

Mais Terror