Topo

Geek


Com 3º ano de Jessica Jones, Marvel encerra parceria com a Netflix; e agora?

Divulgação
Cena da terceira temporada de "Jessica Jones" Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

2019-06-14T04:00:00

14/06/2019 04h00

A terceira e última temporada de Jessica Jones chega hoje à Netflix em um clima melancólico: ela é o último suspiro da parceria Marvel-Netflix, que foi por água abaixo no ano passado, após seis produções que, para o bem ou para o mal, tiveram grande repercussão (JJ, Demolidor, Punho de Ferro, Luke Cage, O Justiceiro e Os Defensores).

Fica a questão: agora, o que será dos heróis que nos acostumamos a ver no streaming?

Uma parceria esperada

A parceria entre a editora e a gigante do streaming foi recebida com furor após seu anúncio, no fim de 2013. O Universo Cinematográfico da Marvel vivia um bom momento após o sucesso de "Vingadores" nos cinemas, e as séries da Netflix eram a chance definitiva de mostrar um outro lado dos heróis - com mais realismo, mais crueza e mais violência.

O pontapé veio com a estreia de Demolidor, em 2015, deixando para trás qualquer lembrança do malfadado filme protagonizado por Ben Affleck 12 anos antes. O hype se manteve nas alturas com Jessica Jones, que meses depois se tornou a primeira super-heroína da Marvel a ganhar uma produção própria, e com Luke Cage.

Punho de Ferro, em 2017, não teve o mesmo sucesso das antecessoras. Com uma trama confusa e inchada e um protagonista pouco expressivo, a série acabou com o rótulo de primeiro fracasso da parceria Marvel-Netflix, que meses depois ainda sofreria com a recepção morna de Os Defensores, a aguardada minissérie que reuniria todos os heróis (à exceção do Justiceiro, que ganhou uma série própria após ser bem recebido no segundo ano de Demolidor).

Apesar dos revezes, tudo seguia como esperado: à exceção de Defensores, planejada como minissérie, todas as produções foram renovadas. No segundo semestre de 2018, no entanto, a relação entre a Marvel e a Netflix começou a azedar de vez - não por acaso, na esteira do anúncio de que a Disney encerraria seu acordo de licenciamento de conteúdo com a Netflix para privilegiar sua própria plataforma de streaming.

Veja o trailer da terceira temporada de Jessica Jones

UOL Entretenimento

Punho de Ferro foi a primeira vítima, apesar de crítica e público terem notado a significativa melhora da série em sua segunda temporada. Segundo o site Deadline, foi a Netflix que bateu o martelo do cancelamento, enquanto a Marvel TV havia manifestado o desejo de prosseguir com a atração.

Depois, foi a vez de Luke Cage, afetada por uma série de divergências nos bastidores entre os times da Marvel e da Netflix quanto ao desenvolvimento de uma possível temporada. Nem a elogiada terceira temporada de Demolidor escapou da guilhotina - e foi só questão de tempo até os cortes chegarem a Justiceiro e Jessica Jones, as únicas séries programadas para retornar em 2019.

E agora?

Agora, o futuro de Demolidor, Jessica Jones e companhia está em aberto. Fãs fizeram uma petição para resgatar a série do primeiro herói, e elenco e equipe de todas as produções já manifestaram vontade de continuar. Mas é possível?

Divulgação/Netflix
Matt Murdock (Charlie Cox), Jessica Jones (Krysten Ritter), Luke Cage (Mike Colter) e Danny Rand (Finn Jones) em "Os Defensores" Imagem: Divulgação/Netflix

Até é - o que não quer dizer que seja algo fácil (ou rápido).

De acordo com informações reveladas pela revista Variety, o contrato entre a Marvel e a Netflix deixa claro que os personagens da parceria só podem reaparecer nas telas dois anos após o cancelamento das séries -- ou seja: 2020 para Demolidor, Punho de Ferro e Luke Cage, e 2021 para Jessica Jones e Justiceiro.

Eles têm, no entanto, um lar garantido caso suas voltas se concretizem: há o Disney+, o serviço de streaming que a Disney lançará no fim deste ano, e o Hulu, que agora tem a casa do Mickey como sua principal dona. Como os veículos especializados internacionais dão conta de que o primeiro deva abrigar produções mais "família", o Hulu desponta como um destino mais provável.

Só há um porém: com tanto tempo assim, é pouco provável que as séries consigam retornar com a mesma equipe, ou até os mesmos atores. Melissa Rosenberg, showrunner de Jessica Jones, agora tem um contrato milionário com a Warner Bros TV., enquanto Cheo Hodari Coker, criador de Luke Cage, está comprometido com a Amazon Studios. Espere uma versão bem diferente de seus heróis favoritos.

Há também chances de eles serem integrados ao MCU, já que agora personagens como a Feiticeira Escarlate e o Soldado Invernal irão ganhar séries próprias no Disney+? Até há, mas calma. As séries desses heróis serão feitas pela Marvel Studios, a responsável por "Vingadores: Ultimato" e pelos filmes que vimos até agora. Já produções como Demolidor são tocadas pela Marvel Television, uma outra subsidiária da Casa das Ideias. Esse é o principal motivo pelo qual, apesar de estarem situadas no mesmo universo dos filmes, as séries da Netflix pouco dialogavam com os filmes da editora. Logo, a migração requereria, ainda, um trabalho burocrático.

Pelo menos há um consolo: todas as temporadas produzidas até agora continuarão na Netflix, então dá para ver e rever as aventuras dos heróis até a Disney decidir o que fará com eles.