Topo

Virada Cultural


Clima de segurança, público fiel e diversidade marcam primeiras horas da Virada Cultural

Marcelo Justo/UOL
Apresentação de balé clássico no Viaduto do Chá, durante a Virada Cultural Imagem: Marcelo Justo/UOL

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

2019-05-18T21:59:06

18/05/2019 21h59

As primeiras horas da Virada Cultural de São Paulo foram tranquilas para quem decidiu aproveitar os shows do centro. Da Praça da Sé passando pelo Patriarca e chegando ao Anhangabaú, não houve muvucas, e o clima era de segurança e festa.

Virada fiel

A Praça da Sé recebeu um palco voltado para a música cristã, e os fiéis lotaram a região para acompanhar as primeiras apresentações do evento.

Priscilla Alcantara, ex-apresentadora do "Bom Dia & Cia" do SBT, subiu ao palco por volta das 18h e arrastou os fãs. O culto a céu aberto contou com orações, muita emoção, energias positivas passadas pela artista e um cover de "Shallow", do filme "Nasce uma Estrela", cantada originalmente por Bradley Cooper e Lady Gaga.

A Sé foi uma das regiões que mais atraíram público no início da Virada, principalmente pela popularidade de Priscilla. A música continua no palco com Rick Digilio e Dunga.

Diferentes misturas e estilos

A 500 metros da Sé, o hip-hop tomou conta da festa com Rincon Sapiência e ATTOXXA no Patriarca - Experimenta, apesar do atraso de quase uma hora. Ali perto, no Anhangabaú, as crianças se divertiram com o Palavra Cantada, enquanto a República celebrou a diversidade com Marina Lima e Letrux.

E isso foi só o começo. Nesta noite de sábado ainda tocam Caetano Veloso com os filhos no Anhangabaú e Mariana Nolasco com seu pop no Palco Cásper Líbero. O rock nacional ganha espaço no Rio Branco, e Thiago Brava fecha o dia na Luz.

Segurança

Policiais estavam espalhados pelo centro de São Paulo, e não era difícil encontrar em cada esquina uma viatura da PM ou da Guarda Civil.

Ninha Santiago, 30 anos, de Nossa Senhora do Ó (Pernambuco), está em São Paulo de férias com o marido e alguns amigos. "É a minha primeira Virada. Já vi Nação Zumbi e agora quero ver o Caetano. Por enquanto foi tudo tranquilo, achei até que fosse estar mais cheio. Não tive nenhum problema e estou me sentindo segura, com a rua bastante policiada."

Já Veronica Roversi, 30 anos, contou que estava na cidade neste final de semana só para a Virada. Ela curtiu o evento com a mulher, Mitir Roversi, 21 anos. "Até agora, não vimos briga nem confusão. A única reclamação é com relação aos banheiros. Está sem fila, mas eles estão muito sujos. Está impossível de entrar. No mais, achamos que está vazio e fácil de se deslocar."

Clima

Durante as primeiras horas da Virada, o público não encontrou dificuldade em caminhar pela região, mas, aos poucos, o centro da cidade começou a ficar mais cheio.

Além dos shows maiores, grupos de dança foram vistos pelas ruas, assim como barracas de som, que atraíram a galera mais animada.

Alguns prédios históricos do centro também apostaram em iluminações temáticas e em projeções visuais para criar uma ambientação especial para a ocasião, contrastando com passagens escuras e vazias de ruas do entorno.

A Virada Cultural segue pela madrugada do domingo e termina oficialmente às 18h de amanhã. Entre as atrações mais aguardadas estão Criolo, Anitta, Pabblo Vittar, Thiago Abravanel, Rosa de Saron, Vitor Kley, Baco Exu do Blues e Emicida.