Topo

Filmes e séries


Amizades e suspeito de crime: Por que Bruce Lee está no novo filme de Tarantino?

Reprodução
Mike Moh como Bruce Lee em cena de "Era Uma Vez em Hollywood" Imagem: Reprodução

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

2019-03-20T19:55:20

20/03/2019 19h55

O primeiro teaser de "Era Uma Vez em Hollywood", novo filme do diretor Quentin Tarantino, saiu hoje e logo de cara vimos o ator Mike Moh como o icônico Bruce Lee. O projeto, que se passa em 1969, mistura a história ficcional de um ator (Leonardo DiCaprio) e seu dublê (Brad Pitt) tentando encontrar sucesso no cinema com detalhes reais dos crimes cometidos por Charles Manson e seus seguidores.

A questão que ficou foi: o que Bruce Lee está fazendo nesta história maluca? A verdade é um tanto complicada, mas necessária para entender a participação do mestre das artes marciais no filme e lembrar da vez em que ele foi suspeito de uma série de assassinatos.

Segundo Matthew Polly, autor da biografia "Bruce Lee: A Life" e que relembrou o caso em um episódio do podcast "Shoot This Now", tudo começou em 1965, quando Lee ficou amigo do cabeleireiro das estrelas Jay Sebring, na época namorado de Sharon Tate (interpretada por Margot Robbie no filme).

A vida do ator não andava muito boa, principalmente porque ele conseguia apenas papéis pequenos em Hollywood. Aos poucos, Lee virou treinador de artes marciais para grandes figuras do cinema, caso de Steve McQueen.

Pulando para 1968, Lee ganhou US$ 11 mil para ensinar o elenco de "Arma Secreta contra Matt Helm" a lutar. Entre as atrizes estava justamente Tate, que já estava casada com o diretor Roman Polanski (papel de Rafal Zawierucha no filme do Tarantino).

Amizade

Matthew Polly conta que, após convidar Lee para um jantar, Polanski virou um dos principais clientes do especialista. Eles viraram amigos e o cineasta chegou a convidar Lee para seu chalé na Suiça, quando comprou a famosa roupa amarela usada em "Jogo da Morte" (1978).

Em agosto de 1969, Tate (que estava grávida) e Sebring morreram pelas mãos da Família Manson. Antes dos verdadeiros assassinos serem descobertos, Polanski suspeitou por um momento que Lee tinha sido o responsável pelo assassinato de sua mulher.

A suspeita foi por conta de um óculos deixado pelos criminosos na cena do crime. Na manhã seguinte, Lee comentou com o amigo que tinha perdido seus óculos em algum lugar.

"O coração de Polanski disparou", relembrou o escritor em participação no podcast. "Bruce fazia parte do círculo de amigos, mas ele também era, como o único asiático, um estranho olhando para dentro. Ele sabia como usar uma arma e era um especialista em armas brancas. Ele tinha força e habilidade para dominar várias vítimas. Talvez Sebring o tivesse convidado e algo tivesse dado terrivelmente errado. Talvez ele estivesse secretamente apaixonado por Tate e tivesse desistido."

Divulgação
Bruce Lee em cena no filme "Jogo da Morte" (1978) Imagem: Divulgação

Conclusão

Claro que Polanski estava errado, mas ainda não é totalmente clara qual será a participação de Bruce Lee em "Era Uma Vez em Hollywood". Porém, é uma oportunidade para Tarantino homenagear um dos seus grandes heróis do cinema -- basta lembrar da homenagem que o cineasta fez para Lee em "Kill Bill", com Uma Thurman usando uma versão do traje amarelo do mestre.

As cenas vistas no trailer também indicam que veremos um outro lado da história que levou aos crimes cometidos pela Família Manson, sem contar que o ator Mike Moh está praticamente idêntico ao mestre das artes marciais.

A previsão de estreia para "Era Uma Vez em Hollywood" chegar aos cinemas brasileiros é 15 de agosto.