PUBLICIDADE
Topo

Ryan Adams, que fez cover de "1989" da Taylor Swift, é acusado de assédio sexual

O músico Ryan Adams - Reprodução
O músico Ryan Adams Imagem: Reprodução

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

13/02/2019 21h04

O músico Ryan Adams, que ganhou destaque no mainstream após fazer um cover do álbum "1989", da Taylor Swift, foi acusado de assédio sexual e abuso psicológico.

O New York Times entrevistou sete mulheres, incluindo a cantora Phoebe Bridgers, a compositora Courtney Jaye e a ex-mulher de Ryan, Mandy Moore, que falaram sobre suas experiências com o cantor e guitarrista de 44 anos.

O site indica que o músico usava sua influência no circuito alternativo para ajudar a carreira de jovens mulheres, normalmente resultando em chantagens sexuais. Caso seus avanços fossem negados, ele cortava relações profissionais.

Ryan Adams categoricamente negou as "acusações extremamente sérias" reportadas pelo site.

Menor de idade

Há ainda um relato de uma mulher chamada Ava, que afirma que tinha 14 anos quando começou a trocar mensagens pela internet com Ryan. Ava garante que a conversa entre eles levou a assuntos sexuais e que o músico chegou a se expor via Skype.

Na época, Ava morava em Ohio (EUA), onde é considerado crime "solicitar, trocar ou possuir qualquer material que mostre uma pessoa menor de 18 anos praticando atividade sexual."

Segundo o NYT, Ryan questionou Eva inúmeras vezes sobre sua idade na época -- ela agora tem 20 anos. O site salienta que ela não foi sempre sincera nas respostas, e as conversas sobre sexo continuaram por um tempo.

O cantor até chegou a mandar uma mensagem de texto para ela brincando sobre a situação: "Se as pessoas soubessem [sobre eles], falariam que eu sou igual ao R. Kelly [cantor norte-americano acusado de assédio e de manter um culto sexual]".

Ryan Adams entrevista Taylor Swift - Reprodução - Reprodução
Ryan Adams entrevista Taylor Swift
Imagem: Reprodução

Ex-namoradas

Phoebe Bridgers disse ao site que procurou Ryan para ajudá-la na sua carreira musical. A relação profissional virou namoro antes de se tornar abusivo. Segundo a cantora, Ryan deixou de ajudá-la profissionalmente assim que ela cogitava terminar com ele.

Em uma ocasião, quando ela estava abrindo a turnê de Ryan e não namoravam, o cantor chegou a atender a porta do seu quarto de hotel totalmente nu.

Mandy Moore foi casado com o cantor por quase seis anos. Durante este período, segundo a compositora e atriz, Ryan a desencorajava a trabalhar com outros produtores, o que agora ela considera um "abuso psicológico".

"Seu comportamento controlador essencialmente bloqueou minha capacidade de fazer novas conexões na indústria durante um período crucial e potencialmente lucrativo", declarou Mandy.

Declaração de Ryan

Após a publicação da reportagem, o cantor se pronunciou no Twitter. "Eu não sou um homem perfeito e cometi muitos erros. Para qualquer uma que eu tenha machucado, sem intenção, peço profundas desculpas. Mas a imagem que este artigo retrata é perturbadoramente imprecisa. Alguns de seus detalhes são deturpados; alguns são exagerados; alguns são francamente falsos. Eu nunca teria interações inapropriadas com alguém menor de idade."

"Como alguém que sempre tentou espalhar alegria através da minha música e da minha vida, ouvir que algumas pessoas acreditam que eu causei dor me entristece muito", acrescentou. "Estou decidido a trabalhar para ser o melhor homem que posso ser. E desejo a todos compaixão, compreensão e cura."

Ryan começou a ganhar fama no circuito alternativo com a sua banda Whiskeytown e desde 2000 segue em carreira solo. Em 2015, ele fez um cover de cada música do álbum "1989", da Taylor Swift, oque lançou seu nome para o grande público. Ele ainda foi produtor de Willie Nelson, Jesse Malin, Jenny Lewis e Fall Out Boy, além de colaborar com Counting Crows, Weezer e Norah Jones.