PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Bolsonaro critica Petrobras por financiamentos para atividades culturais no Brasil

23.jan.2019 - Jair Bolsonaro concede entrevista à Bloomberg, em Davos, na Suíça - Alan Santos/PR
23.jan.2019 - Jair Bolsonaro concede entrevista à Bloomberg, em Davos, na Suíça Imagem: Alan Santos/PR

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

07/02/2019 17h38

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) não concorda com a forma como a Petrobras vem apoiando as atividades culturais no Brasil.

No Twitter, o político afirmou que "o Estado tem maiores prioridades" do que gastar tanto dinheiro com o setor, mas salienta que é necessário incentivar a cultura no país.

"Reconheço o valor da cultura e a necessidade de incentivá-la, mas isso não deve estar a cargo de uma petrolífera estatal", escreveu Bolsonaro. "A soma dos patrocínios dos últimos anos passa de R$ 3 bilhões. Determinei a reavaliação dos contratos. O Estado tem maiores prioridades."

Para o governante, os incentivos devem ser "direcionados de forma justa, enxuta, transparente e responsável, mas jamais em detrimento das principais demandas de nossa sociedade."

Conforme o Estadão noticiou nesta quinta-feira (7), a Petrobras está avaliando cortar patrocínios firmados nos governos anteriores, principalmente com grandes grupos de teatro e cinema e com a imprensa profissional.

Juntas, as áreas de cultura e imprensa consumiram quase R$ 160 milhões da estatal no ano passado. Os gastos com publicidade foram de cerca de R$ 120 milhões e com patrocínios culturais, de R$ 38 milhões.

Ao todo, a Petrobras tem contratos de patrocínio ativos firmados em gestão e governos anteriores que somam R$ 3,5 bilhões, segundo dados divulgados em seu site. Alguns deles se estendem até 2021.

Entretenimento