PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Ministério cria grupo especial para analisar condições de museus e bibliotecas

Incêndio destrói o Museu Nacional, no Rio de Janeiro - REUTERS/Ricardo Moraes
Incêndio destrói o Museu Nacional, no Rio de Janeiro Imagem: REUTERS/Ricardo Moraes

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

28/01/2019 17h45

O governo federal criou nesta segunda-feira (28) um grupo de trabalho para averiguar as condições de museus, bibliotecas, imóveis tombados e provenientes do legado olímpico.

O grupo, organizado por ordem do ministro da Cidadania, Osmar Terra, terá seis meses para analisar riscos ao patrimônio cultural e apresentar um plano de ação para resolver situações críticas que forem encontradas.

"Os bens culturais tombados têm enorme valor simbólico e referencial para o Brasil. Qualquer destruição de patrimônio é uma perda irreparável, não somente pelo valor financeiro, mas, principalmente, pelo valor simbólico", disse o secretário especial de Cultura, Henrique Pires.

A iniciativa vem quase cinco meses após o Museu Nacional ser sido destruído por um incêndio. Dono de um acervo com cerca de 20 milhões de itens, o local encontrava-se há anos em uma situação financeira precária.

Afetado pela crise da URFJ, o Museu Nacional chegou a anunciar na internet uma "vaquinha" para conseguir reabrir salas importantes do acervo.

Já sobre o legado olímpico, o grupo de trabalho vai cuidar do Parque Olímpico da Barra da Tijuca e o Velódromo Olímpico. Grande parte das arenas construídas para as Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, continua sem uso, e muitos espaços seguem abandonados.

Entretenimento