Topo

Entretenimento


Inhotim é esvaziado após barragem romper em Brumadinho; museu não foi atingido

Vista aérea do Instituto Inhotim, em Brumadinho (MG) - Divulgação
Vista aérea do Instituto Inhotim, em Brumadinho (MG) Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

25/01/2019 14h21Atualizada em 26/01/2019 00h05

O Instituto Inhotim, considerado o maior museu a céu aberto do mundo, foi esvaziado após o rompimento de uma barragem na cidade de Brumadinho (MG), nesta sexta-feira (25). 

Ao UOL, a assessoria de imprensa do Instituto informou que visitantes e funcionários foram retirados do local como medida de segurança, conforme orientações da Polícia Civil, e que a lama ainda não havia atingido as dependências do Inhotim (leia o comunicado abaixo).

Lama toma área em Brumadinho (MG) após rompimento de barragem - Corpo de Bombeiros de Minas Gerais
Lama toma área em Brumadinho (MG) após rompimento de barragem
Imagem: Corpo de Bombeiros de Minas Gerais

Por conta do incidente, o Instituto não funcionará neste fim de semana. Uma data de reabertura ainda será determinada. 

"Devido ao rompimento da barragem da Vale na Mina Feijão, em Brumadinho (MG), no início da tarde de hoje, 26/01, o Instituto Inhotim comunica que realizou o esvaziamento da área de visitação do Museu. Todos os funcionários e visitantes foram orientados a deixar o local, conforme recomendação da Polícia Civil. 

Informamos também que, até o momento, a área do Inhotim não foi atingida, não havendo feridos nem prejuízo às obras, jardins e outras instalações do Museu. Em solidariedade ao município e a todos os atingidos, o Inhotim não abrirá neste sábado e domingo (26 e 27/01/2019). Aguardamos mais informações para definir a data de reabertura".

Nas redes sociais, visitantes compartilharam fotos e vídeos do momento da evacuação. Guilherme Pereira, arquiteto do Rio de Janeiro que estava visitando Inhotim, afirmou ao UOL que a saída transcorreu sem problemas. "Eles evacuaram o parque bem rápido, mas sem pânico, por medida de precaução. O centro de Brumadinho também foi evacuado, e as pessoas têm que sair pela BR-381".

O Inhotim

Localizado em Brumadinho, a 1h de Belo Horizonte, o Inhotim foi aberto ao público em 2006. Ao longo dos anos, os 13 hectares originais passaram para 140, abrigando 23 pavilhões de artes e áreas externas, com um público de 2,5 milhões de visitantes em uma década - número ainda mais expressivo por não estar localizado em uma capital.

O instituto tem ampla programação artística e cultural, tendo já exibido instalações de artistas como Robert Irwin e Yayoi Kusama. A parte botânica também é um dos destaques do Inhotim, com cerca de 4.500 espécies, de orquídeas a palmeiras.

Com custo médio de R$ 35 milhões ao ano, o centro cultural se financia através de patrocínios via leis de incentivo à cultura, convênios com o governo, bilheteria e doações - como o programa Amigos do Inhotim, voltado para pessoas físicas.

Em 2018, parte do Inhotim apareceu como cenário de "3%", série brasileira da Netflix. O Instituto foi a locação do Maralto, local onde moram os cidadãos privilegiados no universo distópico da série.

O rompimento

Uma barragem de rejeitos da empresa mineradora Vale rompeu na tarde desta sexta-feira (25) na cidade de Brumadinho. A Defesa Civil de Minas Gerais e o Corpo de Bombeiros enviaram equipes ao local para avaliar a extensão do problema.

Em nota, a Vale confirmou o rompimento e disse que acionou um plano de atendimento a emergência. "As primeiras informações indicam que os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco. Ainda não há confirmação se há feridos no local", diz o texto.

Mais Entretenimento