Topo

Festival Virada Salvador 2019


Milton Nascimento homenageia Marielle Franco com "Coração de Estudante"

João Alvarez/UOL
Milton Nascimento canta no primeiro dia do Festival Virada Salvador 2019 Imagem: João Alvarez/UOL

Alexandre Santos

Colaboração para o UOL, em Salvador

28/12/2018 23h05

Primeira atração a subir ao palco do Festival Virada Salvador 2019 na noite desta sexta-feira (28), o cantor e compositor Milton Nascimento homenageou a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e o motorista Anderson Gomes, assassinados em 14 de março deste ano, na região central da capital fluminense.

A autoria e a motivação dos crimes ainda são investigadas. "A próxima música é em memória de Marielle Franco e Anderson Gomes", disse Milton ao anunciar "Coração de Estudante", letra que compôs em 1983 em parceria com Wagner Tiso e que, dali a pouco tempo, se tornaria um dos hinos do movimento pelas Diretas Já.

Antes, ao abrir o show, o artista carioca criado em Três Pontas (MG) lembrou do percussionista Naná Vasconcelos (1944-2016), que o acompanhou por décadas em gravações e apresentações ao vivo.

Em seguida, cantou "Lágrima do Sul" --música que diz ter escrito em reverência a Nelson Mandela (1918-2013), líder sul-africano na luta contra o apartheid.

Sentado na maior parte do tempo, o Milton trouxe à capital baiana o repertório da turnê "Semente da Terra", espetáculo que, pelo segundo ano, dedica-se a exaltar as raízes da cultura brasileira.

Diante de um público emocionado na arena Daniela Mercury, ele não deixou de fora sucessos que marcaram suas cinco décadas de carreira --dentre as quais, "Maria, Maria", "Fé Cega, Faca Amolada" e "Canção da América".

Com a convidada especial Maria Gadú, Milton entoou "Travessia".

Único momento em que se levantou, Bituca, como também é conhecido, dividiu com Gadu as estrofes de "Clube da Esquina 2", canção homônima ao movimento do qual Milton foi um dos expoentes na década de 1960, em Belo Horizonte, ao lado dos irmãos Borges (Marilton, Márcio e Lô).

Errata: o texto foi atualizado
29/12/2018 às 00h00
Diferentemente do que foi publicado, Nelson Mandela era líder sul-africano. A informação foi corrigida.

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber