PUBLICIDADE
Topo

2018 foi 1º ano em que streaming produziu mais séries que TV tradicional

Pôster da série "Elite", da Netflix - Reprodução
Pôster da série "Elite", da Netflix Imagem: Reprodução

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

18/12/2018 13h10

Os serviços de streaming produziram mais séries originais em 2018 do que a TV tradicional, segundo estudo anual da emissora a cabo FX. Os resultados foram repercutidos no "The Hollywood Reporter".

A saída de três emissoras a cabo do negócio das séries originais (CMT, TV Land e E!) contribuiu para a mudança. Segundo a FX, 32% das temporadas de séries lançadas em 2018 foram produzidas por plataformas como a Netflix, a Amazon e o Hulu, entre várias outras.

Enquanto isso, a TV aberta americana produziu 30% das séries, e a TV a cabo apenas 29%. A TV a cabo foi o único setor que diminuiu o número de produções, ao invés de aumentar, durante o ano -- foram 31 séries a menos do que em 2017.

O ano de 2018 marcou mais um recorde para a "peak TV", termo cunhado pelo chefe da FX, John Landgraf, para definir a explosão de produções originais nos últimos anos. Foram 495 temporadas de séries lançadas durante o ano, oito a mais do que em 2017.

160 destas séries foram produzidas por serviços de streaming. Para o ano que vem, Landgraf prevê um aumento na fatia do mercado dominada por este setor, graças ao surgimento de novas plataformas, como Disney + e Apple.

Segundo o chefe da FX, a produção televisiva pode chegar a 530 temporadas lançadas em 2019. "Ainda há gasolina neste tanque", definiu o executivo.