PUBLICIDADE
Topo

"Tomei o primeiro copo de vinho aos 4 anos", conta Eduardo Dussek

Eduardo Dussek no "Conversa com Bial" - Reprodução
Eduardo Dussek no "Conversa com Bial" Imagem: Reprodução

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

11/12/2018 07h12

Eduardo Dussek comentou passagens de sua carreira no "Conversa com Bial" de segunda-feira (10) e não se esquivou quando o assunto foi álcool e drogas.

"O que podia me colocar uma nova visão, eu fazia. Tomei o primeiro copo de vinho com 4 anos de idade. Meu pai era tcheco, mas tinha o costume do europeu de dar um pouquinho de vinho com água com açúcar. Virei para o meu pai e falei: 'quero o meu caubói'. Comecei a descobrir coisas a partir das minhas curiosidades e da minha metidez", recorda.  

Segundo o cantor, foi preciso escolher que "carreira" seguir. "Se cheirasse alguma coisa não conseguia fazer nada disso. Eu sobrevivi porque precisava trabalhar e tinha respeito com o trabalho. Eu disse para mim: 'Dussek, ou você cheira ou você trabalha'. Eu trabalho, e não cheirei mais".

O cantor disse como evitou que a fama subisse à cabeça. "Foi muita metidez o tempo inteiro até eu poder me filtrar. Sinto que todo artista passa por isso no começo da carreira. O aplauso nos traz muito a satisfação do ego. Eu apanhei tanto por causa da metidez, mas tanto, que hoje sou grato e sinto que, quando vocês aplaudem, me alimentam com o amor de vocês, não é mais o ego".

Parente de Mozart? 

Até um suposto parentesco com Mozart virou assunto. "É uma história louca, achei que era loucura do meu pai. Depois de 60 anos, ele voltou à Praga, Tchecoslováquia, com meu irmão, que é jornalista. Eles foram num museu de Mozart, ele falou 'me lembro dessa casa, minha casa era perto, brincávamos aqui'. Descobriram que era casa de um Dussek da época de Mozart que bancava a ópera de Praga". 

Seria ele um descendente "bastardo" de Mozart? "Pode ser, pode não ser. Mozart comia todo mundo, ele comeu a moça de 20 anos que era prima-dona do Dussek. Ela engravidou e o marido dela era estéril. Ficaram sabendo que era Mozart, ele foi expulso de lá, e nasceu um Dussekinho filho de Mozart".