PUBLICIDADE
Topo

Ela gravava vídeos de sexo e fez um filme de terror sobre isso na Netflix

Madeline Brewer em cena de "Cam" - Reprodução
Madeline Brewer em cena de "Cam" Imagem: Reprodução

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

25/11/2018 04h00

Isa Mazzei fez fama gravando vídeos de sexo na internet. Seu trabalho como "camgirl" (uma garota que se apresenta online em troca de dinheiro) a influenciou a se arriscar na indústria cinematográfica, e o resultado é o ótimo filme de terror "Cam", já disponível na Netflix.

Na produção, Alice (Madeline Brewer) é a popstar Lola em uma rede social. Seu objetivo é ficar entre as 50 garotas mais populares do site e ela acabou de alugar uma casa para preparar melhor seu trabalho. Ela se apresenta nua na banheira, apenas de calcinha e sutiã enquanto come um bife e até corta o pescoço (de mentirinha) para ganhar um trocado.

Independente da tara sexual de quem a assiste, a jovem vai até os limites do possível para ganhar seguidores e, consequentemente, mais dinheiro. Até que sua conta é bloqueada e uma "clone" começa a gravar vídeos e fazer muito mais sucesso.

A roteirista Isa Mazzei - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
A roteirista Isa Mazzei
Imagem: Reprodução/Instagram

"Eu sempre quis tentar trabalhar com sexo", garantiu Mazzei em entrevista ao site Entertainment Weekly. "Eu brinquei com a ideia de ser um stripper, e então eu encontrei a câmera e percebi que era uma coisa que eu queria fazer. Me apaixonei por isso".

Mazzei ficou dois anos na indústria dos vídeos adultos, e contou com ajuda do então namorado Daniel Goldhaber para gravar material de qualidade para seu canal. Quando imaginou escrever um filme sobre este mundo, a escolha parecia óbvia sobre quem seria responsável pela direção. 

"Eu sempre pensei em fazer algo como um documentário. Mas foi muito importante para mim contar uma história que fizesse com que o público se identificasse com as garotas, simpatizasse com a trabalhadora do sexo e entendesse o quão normal ela pode ser", explicou a roteirista, que se formou em literatura russa e italiana na UC Berkeley.

Sinto que na mídia tradicional o trabalho sexual é ou glamorizado ao ponto de absurdo, ou é tratado como algo inerentemente explorador, quando na verdade também pode ser um trabalho muito normal.

Pensar em que caminho trilhar para contar a história de Lola não foi fácil, mas a dupla chegou a uma conclusão certeira: o terror. Apesar da animação e do enredo criativo, os agentes de Hollywood que receberam o roteiro não se entusiasmaram com a ideia. 

"[Os agentes] não indicavam nenhum cliente para nós", explicou o diretor Daniel Goldhaber para a EW. "Você vai e diz: 'Bem, podemos conversar com atriz X?', e os agentes diziam 'ela infelizmente passou o papel'. Então eu encontrava a atriz em uma festa ou algo assim e ela dizia 'eu nunca ouvi falar do seu filme'".

Cena do filme "Cam" - Reprodução - Reprodução
Cena do filme "Cam"
Imagem: Reprodução

Enquanto a dupla não encontrava ninguém, foi o pai de Daniel, um físico que adora palpitar no trabalho do filho, que indicou Madeline Brewer para eles. "'Ela está em um episódio de Black Mirror e é perfeita para o papel, vocês têm que colocá-la no filme'. Nós olhamos o material dela e achamos impressionados. Ela não apenas ganhou o papel como ficou entusiasmada sobre o lado político", completou o cineasta.

A atriz de 26 anos, que ficou conhecida por "Orange is the New Black" e "The Handmaid's Tale", estudou as "camgirls" para entender aquela rotina. "Foi muito importante para mim que a história tivesse autenticidade, porque se você vai contar uma história sobre uma garota que trabalha com sexo de uma maneira que ainda não foi contada, você quer fazer isso direito", analisou Madeline ao EW.

Com uma pegada neutra, falando sem juízo de valor sobre o trabalho das garotas e com uma excelente e atual premissa de terror, "Cam" ganhou o aval da poderosa Blumhouse, responsável pelos hits recentes "Halloween", "Corra!" e "Fragmentado". O resultado final agradou tanto o chefão da produtora, Jason Blum, que Mazzei já trabalha em outra produção de suspense.

"Cam" já está disponível na Netflix. Veja abaixo o trailer.