PUBLICIDADE
Topo

Por onde anda Billy Zane, o vilão de "Titanic" que sumiu de Hollywood?

Billy Zane e Kate Winslet em cena de "Titanic" (1997) - Reprodução
Billy Zane e Kate Winslet em cena de "Titanic" (1997) Imagem: Reprodução

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

18/11/2018 04h00

Ele foi galã na década de 1990, trabalhou com diretores consagrados, viveu um super-herói nos cinemas e ainda é lembrado por "Titanic" (1997). Mesmo com um currículo impressionante, Billy Zane anda esquecido na Hollywood do primeiro escalão e parece carregar o fardo de ter interpretado o vilão do filme que arrecadou mais de US$ 2 bilhões nas bilheterias.

Com esta introdução, parece que a vida de Zane está de mal a pior, mas não é o caso. O ator segue em algumas produções menores, principalmente na televisão, e comanda a produtora RadioactiveGiant.

Veja o que Billy Zane andou fazendo nos últimos anos e seus planos para o futuro.

Billy Zane em cena do filme "O Fantasma" - Reprodução - Reprodução
Billy Zane em cena de "O Fantasma"
Imagem: Reprodução

Nos cinemas

Billy Zane estreou da melhor forma possível em Hollywood: "De Volta Para o Futuro" (1985). Na época com 19 anos, o ator viveu Match, um dos capangas de Biff Tannen na franquia idolatrada de ficção científica. Após estrelar "Terror a Bordo" (1989) e a série cult "Twin Peaks" (1991), ele se arriscou como o herói Fantasma, criado por Lee Falk e Ray Moore em 1936, antes de chamar a atenção por "Titanic".

Após o icônico papel, a carreira de Zane deu uma esfriada. Apesar de conseguir alguns trabalhos em filmes elogiados, como "Tolerância Zero" (2001), ele atuou em muitos filmes que nem chegaram a entrar em cartaz: "Vlad - O Cavaleiro das Trevas" (2003), "Heróis de Guerra" (2006), "Colega de Quarto" (2011) e "Mistério: Acredite ou Morra" (2011).

O ator Billy Zane durante evento da série "Curfew" - Valery Hache/AFP - Valery Hache/AFP
O ator Billy Zane durante evento da série "Curfew"
Imagem: Valery Hache/AFP

Suas produções mais recentes, voltadas principalmente para o gênero de terror de baixo orçamento, também não tiveram muito destaque, caso de "Scorned" (2013), "A Maldição de Goodnight Lane" (2014), "Zombie Killers: Elephant's Graveyard" (2015), "White Island" (2016) e "Sansão" (2018). Já em 2019, o ator está garantido em três longas: "Trouble Sleeping", "Cliffs of Freedon" e "Ghosts of War". 

Ao mesmo tempo, Zane vem apostando muito na sua produtora RadioactiveGiant, com destaque especial para o documentário "Searching for Eddie Running Wolf" (2015), que busca desvendar a lenda do homem tão talentoso que conseguia transformar qualquer pedaço de madeira em uma obra de arte. Os próximos projetos da produtora são "Miskatonic U", baseado em contos do escritor H.P. Lovecraft, "The Dark Night of the Soul" e "The Blood Remembers".

Séries

Zane se acostumou a trabalhar na televisão nos últimos anos, fazendo participações especiais como dublador na animação "As Novas Aventuras do Batman" e atuando nas populares "Charmed", "Samantha Who?", "Psych" e "Legends of Tomorrow". 

Por outro lado, na grande oportunidade que teve como um dos protagonistas, o ator não correspondeu às expectativas. "Guilt" estreou em 2016 e apresentava um estudante norte-americano que virava o principal suspeito de um assassinato em Londres, mas foi cancelada logo após a primeira temporada. Situação semelhante à de "The Deep End" (2010), que prometia muito e acabou cancelada no sexto episódio.

O norte-americano está escalado para a série "Curfew", que fala sobre um grupo de pilotos amadores que competem em rachas ilegais. O projeto ainda tem no elenco Sean Bean ("O Senhor dos Anéis" e "Game of Thrones") e deverá ser exibido em 2019.

Ele é da zoeira

Sem receio de pagar mico e com senso de humor, o ator brinca com a própria imagem. Billy Zane foi ele mesmo em "Zoolander" (2001) e "Zoolander 2" (2016), gravou um vídeo para o site Funny or Die reclamando que toda vez que lê uma mensagem para o cantor Zayn acha que é para ele, e ainda fez uma aparição surpresa e hilária no clipe "Rock 'N Roll", de Avril Lavigne.

Para completar, ele virou o garoto-propaganda do KFC em 2017, aparecendo em diversos comerciais para a televisão em uma versão dourada do Coronel Sanders, o fundador da rede de fast-food. Kevin Hochman, chefão da empresa, se inspirou no papel do ator em "Titanic" para mostrar que qualquer um pode comer frango frito do KFC. "Toda a ideia da campanha é que você não precisa ser um milionário para comer como um", ressaltou. "O talento de Billy Zane é transmitido no anúncio." 

Billy Zane em propaganda do KFC - Reprodução - Reprodução
Billy Zane em propaganda do KFC
Imagem: Reprodução