PUBLICIDADE
Topo

Em turnê no Brasil, Azealia explica por que lançou sabonete de clareamento anal

A americana Azealia Banks, que está em turnê no Brasil - Getty Images
A americana Azealia Banks, que está em turnê no Brasil Imagem: Getty Images

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

16/11/2018 04h00

Poucos artistas do pop atual têm o dom tão grande de atrair tanta polêmica quanto a cantora e rapper americana Azealia Banks. Em entrevistas e posts nas redes sociais, ela compra brigas com famosos, critica rivais, fala mal da própria equipe e, muitas vezes, alveja os próprios fãs.

Foi o que aconteceu em 2017, quando seguidores brasileiros a teriam chamado de "vadia negra", lotando sua caixa de comentários de spams. "Não sabia que havia internet na favela", escreveu ela na época, entre vários outros impropérios. Não pegou bem. Denunciada, ela teve a conta suspensa no Twitter.

A mais recente controvérsia aconteceu nesta quinta (15), quando, segundo um produtor brasileiro, ela se recusou a cantar antes de Pabllo Vittar em Fortaleza, no Festival Pisa Menos. No Instagram, Azealia se justificou dizendo que foi tratada de forma "não profissional", com elementos da produção de seu show sendo cortados inadvertidamente.

A cantora Azealia Banks - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

O UOL conversou com Azealia antes dessa treta. Os assuntos do papo: sua briga com os seguidores brasileiros, sua personalidade "difícil" e ainda sua inusitada linha de produtos de higiene que inclui um sabonete de clareamento anal voltado ao público gay.

Perguntas sobre o movimento #MeToo ou a overdose da colega cantora Demi Lovato? Azealia prefere passar. "Não sei o que isso tem a ver com meus shows no Brasil". Depois de passar por Rio, Curitiba, Recife e o show frustrado em Fortaleza, ela se apresenta nesta sexta em São Paulo, no Tropical Butantã.

Brasil

"Acho que já fui ao Brasil talvez três ou quatro vezes, e na primeira comi um sanduíche. Mas não era qualquer sanduíche. Era uma fatia cortada de um sanduíche de porco, com queijo. E era apimentado, com pimenta e anéis de cebola. Uma delícia! Minha nossa! Desde então, penso nesse sanduíche todos os dias da minha vida. Sinceramente, mal posso esperar para voltar ao Brasil e abraçar meus fãs brasileiros, que amo. (risos)"

Briga com fãs brasileiros

"Acho que não é importante falar sobre isso agora. Já passou. Eu e meus fãs brasileiros já estamos juntos de novo como uma família. Acho que agora é importante se conectar com coisas boas, e não se preocupar com coisas ruins. O mundo está muito louco atualmente. Ninguém quer ouvir sobre coisas ruins na entrevista."

Azealia Banks - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Por que faz sucesso com jovens

"Acho que os jovens gostam de quem é real, alguém que não se retrai, que questiona o que acontece. Eu fico muito feliz em falar com os jovens sobre saúde sexual, identidade sexual ou qualquer outra coisa. Mesmo de política. É importante incentivar os jovens a discutir tudo isso nas minhas redes sociais. Muitos dos meus fãs acabam se tornando amigos depois de entrar nessas discussões. Sinceramente, eu fico feliz em servir de ponte para as pessoas explorar coisas juntos."

Personalidade forte

"Realmente tenho uma personalidade forte. Eu não tenho medo de dar uma opinião por que é apenas uma opinião, sabe? Não é um tratado. Não é um crime. Muitas vezes acho que as pessoas se adoecem e se deprimem simplesmente porque não desenvolvem seus próprios pensamentos. Muitas pessoas têm medo do que os outros vão pensar e deixam de dizer coisas inclusive para elas mesmas. Isso leva a um quadro de insegurança que impede muita gente de se expressar. Acho que o jeito como me expresso representa minha contemplação. Sou aberta. As pessoas podem concordar comigo ou não."

Linha de sabonetes

"Eu lancei uma linha sabonetes em geral e, quando estava desenvolvendo os produtos, recebi muitos pedidos e perguntas. Muitos caras queriam saber se podiam usar os sabonetes para clarear aquela região, sabe? Em volta e dentro da região anal. Meu sabonete é completamente seguro de usar. Eu queria fazer algo que fosse além da simples questão da coloração. Conversei com amigos, com família e fãs e percebi que havia uma ausência de algo assim, que fosse sexual e que ao mesmo tempo ajudasse as pessoas e quebrasse tabus.

Eu também queria tirar a conotação de cocô da sexualidade dos homens gays. Por isso decidi fazer o "Bussy Boy". Existem produtos íntimos femininos na farmácia, como absorventes internos, sabonetes e tudo mais, e queria fazer algo assim para meus fãs. Eles me inspiram todos os dias. Queria fazer para eles se divertirem também, fazerem piada com isso."