PUBLICIDADE
Topo

Brasileiro "Sócrates" é indicado a três prêmios no Oscar do cinema independente

Christian Malheiros em cena do filme "Sócrates" - Divulgação
Christian Malheiros em cena do filme "Sócrates" Imagem: Divulgação

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

16/11/2018 17h02

O drama brasileiro "Sócrates", longa estreia do diretor Alex Moratto, foi indicado nesta sexta (16) em três categorias do prestigiado Spirit Award, prêmio americano promovido pela Film Independent que é considerado um dos indicadores do Oscar.

O destaque ficou para o estreante Christian Malheiros, que concorre a um dos prêmios principais, o de melhor ator. O longa também disputa em diretor revelação e no prêmio especial John Cassavetes, que homenageia produções com orçamento inferior a US$ 500 mil.

"Olha, eu na real não sei como essa indicação se deu, como foi possível. Fui pego de surpresa e estou extremamente feliz porque é um trabalho que foi feito com poucos recursos mas tanto carinho e dedicação que essas indicações já são um prêmio pra mim", diz ao UOL Christian.

O jovem de 19 anos concorrerá com John Cho ("Buscando"), Daveed Diggs ("Ponto Cego"), Ethan Hawke ("First Reformed") e Joaquin Phoenix ("Você Nunca Esteve Realmente Aqui"). Moratto disputará com nomes como Ioana Uricaru ("Lemonade") e Jeremiah Zagar ("We the Animals").

Apesar de não ter chances de concorrer como melhor filme estrangeiro no Oscar o Brasil escolheu "O Grande Circo Místico", "Sócrates" ainda pode conseguir indicações em outras categorias, desde que estreie no cinema comercial de Los Angeles este ano e permaneça por pelo menos uma semana em cartaz.

Os filmes que ganharam mais nomeações ao Spirit foram o documentário "We the Animals", com cinco, e "Eighth Grade", "First Reformed" e "Você Nunca Esteve Realmente Aqui", com quatro cada um. A cerimônia acontecerá no dia 23 de fevereiro, um dia antes da maior premiação do cinema.

"Sócrates", que integrou a programação da Mostra Internacional de São Paulo, acompanha a a trajetória de um jovem negro homossexual de 15 anos, morador da periferia de Santos, litoral de São Paulo, que precisa sobreviver sozinho após a morte da mãe.

O filme conta com a participação de jovens de 16 a 20 anos das Oficinas Querô, projeto social idealizado pelo Instituto Querô. A organização não-governamental atua para transformar a realidade de adolescentes de baixa renda por meio de projetos audiovisuais.

Orçado em apenas US$ 20 mil, o longa passou por festivais internacionais como o de Los Angeles, Montreal e Woodstock, em que foi laureado na categoria para títulos de baixo orçamento.

"É um filme muito pessoal para mim. Escrevi o roteiro após a morte da minha mãe. Foi algo muito importante para mim, algo que precisei expressar muito", afirmou Moratto em entrevista durante a Mostra de São Paulo.

Christian Malheiros, que interpreta o protagonista Sócrates, é formado pela Escola de Artes Cênicas de Santos. Ele foi escolhido entre centenas de candidatos e, este ano, estreou no teatro no espetáculo Fedra, do francês Jean Racine, dirigido por Roberto Alvim.