PUBLICIDADE
Topo

Ator promete surpresa "de cair o queixo" no final de "Animais Fantásticos 2"

Pôster de "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald" - Divulgação
Pôster de "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald" Imagem: Divulgação

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

12/11/2018 15h09

Depois de tantas imagens, trailers e grandes revelações feitas pelo time de "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald" na divulgação do filme, os fãs talvez entrem em suas sessões do segundo capítulo da saga derivada de "Harry Potter" achando que sabem tudo sobre o filme -- mas é aí que eles estarão enganados.

Segundo Eddie Redmayne, que volta a interpretar Newt Scamander, o longa esconde alguns segredos. "O roteiro é como um labirinto", define em entrevista à "Entertainment Weekly". "Você está se aprofundando nele, e Jo [Rowling] está costurando as histórias de forma tão intrincada".

"Há muitas conexões com a saga original de 'Harry Potter', e muitos segredos são revelados para você. E há um deles.... Uau", continua. "Eu cheguei ao final do roteiro e meu queixo caiu. Eu realmente não estava esperando por isso".

Redmayne, é claro, não revela nada sobre o tal segredo. Talvez ele seja relacionado à amizade de Newt com Alvo Dumbledore, que aparece na pele de Jude Law no filme. O intérprete define a relação dos dois em termos misteriosos, e diz que os fãs não conhecem Dumbledore tão bem quanto presumem.

"Há coisas para serem resolvidas na vida de Alvo. Algumas delas os fãs conhecem, e algumas ninguém sabe ainda", comenta Law. "Uma das razões pelas quais Dumbledore confia e gosta tanto de Newt é que ele sabe o quanto ele se afeiçoa a criaturas, animais mágicos. Há uma parte de Alvo que se considera um animal".

Vilão sedutor

"Os Crimes de Grindelwald" mostra o que acontece quando o mago das trevas do título (Johnny Depp) escapa da prisão e tenta impor sua ideia de dominação bruxa ao redor da Europa, especialmente em Paris. Com um líder carismático como Grindelwald à solta, é hora dos personagens tomarem lados nesta guerra.

"Se você ouve só superficialmente, Grindelwald fala sobre o amor. Ele é a favor de bruxos e trouxas terem relacionamentos, por exemplo", cita Dan Fogler, detalhando como a filosofia do vilão pode ser sedutora para seu personagem, o trouxa Jacob, e a amada, a bruxa Queenie (Alison Sudol). "A outra parte do seu discurso, no entanto, é que os bruxos devem ser colocados em um pedestal. Isso é tentador para alguns".

"Grindelwald é como o Sol. Você não deveria olhar diretamente para ele, mas é difícil resistir. Ele faz coisas muito, muito ruins", completa Sudol. "O filme é tão assustador, porque é muito atual".

A atriz se refere aos paralelos entre Grindelwald e o presidente dos EUA, Donald Trump. Ambos, conforme define a "Entertainment Weekly", comandam "comícios enormes com apelo populista que promovem uma retórica de divisão".

"Nós precisamos nos focar em encontrar aquilo que temos em comum", continua Sudol. "Quando tanta coisa estranha está acontecendo no mundo, é fácil perder o rumo".

"Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald" estreia em 15 de novembro no Brasil.