PUBLICIDADE
Topo

Nick Cave diz que ele e a mulher se comunicam com filho que morreu aos 15

O cantor australiano Nick Cave faz show em São Paulo, no Espaço das Américas, com seu grupo The Bad Seeds - Lucas Lima/UOL
O cantor australiano Nick Cave faz show em São Paulo, no Espaço das Américas, com seu grupo The Bad Seeds Imagem: Lucas Lima/UOL

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

03/11/2018 13h23

O cantor Nick Cave escreveu uma mensagem emocionada em seu site, em que falou sobre a morte do filho, há três anos, e sobre a crença de que se comunica com ele até hoje.

O assunto veio à tona no site “The Red Hand Files”, em que se pode fazer perguntas a Cave, sobre qualquer assunto. Uma fã relatou sua história. Ela diz que perdeu pai, irmã e seu primeiro amor em poucos anos, e afirmou que se comunica com eles, principalmente via sonhos. Ela questiona, então, se Arthur, filho de Cave, fala com ele e Susie – mãe de Arthur.

“Essa é uma linda questão, e estou agradecido que você a tenha feito”, diz Cave, em um texto.

Arthur Cave (esquerda), filho de músico Nick Cave, no filme "Nick Cave: 20.000 Dias na Terra" - Reprodução - Reprodução
Arthur Cave (esquerda), filho de músico Nick Cave, no filme "Nick Cave: 20.000 Dias na Terra"
Imagem: Reprodução

“Para mim, parece que, se amamos, sofremos. Este é o acordo. Esse é o pacto. O luto e o amor estão interligados pra sempre. O pesar é o terrível lembrete das profundezas do nosso amor e, como com o amor, o sofrimento não é negociável. Existe uma vastidão de tristeza que ultrapassa nossos minúsculos eus. Somos minúsculos e trêmulos agrupamentos de átomos incorporados à impressionante presença da dor. Ela ocupa o ponto mais fundamental do nosso ser e se estende por nossos dedos até os limites do universo", continua Cave.

“Nós existimos dentro desse giro, todo tipo de loucura existe, fantasmas e espíritos e visitas de sonhos. São dons preciosos que são tão válidos e tão reais quanto precisamos que sejam. São guias espirituais que nos levam para fora da escuridão”, afirma o cantor, mencionando agora o filho.

“Eu sinto a presença do filho, por toda parte, mas ele pode não estar lá. Eu o ouço falar comigo, cuidar de mim, me guiar, embora ele talvez não esteja lá. Ele visita Susie em seu sono regularmente, fala com ela, conforta-a, mas pode não estar lá. O pavor arrasta fantasmas em seu rastro. São espíritos, ideias, essencialmente. São nossa imaginação, atônita, que ressurgem após a calamidade. Siga suas ideias, porque do outro lado da ideia está a mudança, o crescimento e a redenção. Crie seus espíritos. Ligue para eles. Eles estarão vivos? Fale com eles”, aconselha Nick Cave.

Arthur morreu ao cair de um penhasco em julho de 2015, o que fez o cantor inclusive se mudar de Brighton, onde morava, para Los Angeles.