Topo

Rock

Viúva processa médico de Chris Cornell por prescrever remédio sem consulta

Reprodução
Chris Cornell grava cover de Johnny Cash para tributo Imagem: Reprodução

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

01/11/2018 16h22

A viúva de Chris Cornell, Vicky, culpa o médico do cantor por sua morte. Segundo o site TMZ, ela entrou com processo contra Robert Koblin, dizendo que o médico prescreveu remédios pesados para Cornell sem nem mesmo recebê-lo para uma consulta.

Segundo a viúva, Koblin prescreveu mais de 940 doses dos remédios Lorazepam e Oxicodona durante os últimos 20 meses de vida de Cornell. O cantor, de bandas como Soundgarden e Audioslave, morreu em maio de 2017, aos 52 anos.

Embora Cornell tenha sido encontrado morto em seu quarto de hotel em Detroit, e investigações tenham concluído que ele cometeu suicídio, Vicky alega que as altas doses de remédios encontradas em seu corpo contribuíram para o estado mental fragilizado do cantor.

Vicky ainda diz que Koblin sabia do histórico de Cornell como viciado em narcóticos. Segundo ela, o cantor passou a se consultar com o médico em 2004, por indicação de um terapeuta que o ajudou a lutar contra o vício.

O processo alega que um dos efeitos do Lorazepam é diminuir o autocontrole do paciente, de forma que pensamentos suicidas podem se apoderar mais facilmente de alguém que já sofre com este problema. Koblin, aparentemente, não alertou Cornell sobre nenhum dos efeitos colaterais do remédio.

A viúva e seus dois filhos estão processando o médico em busca de compensação monetária pelo erro médico, embora um valor não tenha sido revelado.

Mais Rock