PUBLICIDADE
Topo

"House of Cards": Presença de Spacey é sentida no final, diz showrunner

Kevin Spacey e Robin Wright em cena na série "House of Cards" - Divulgação
Kevin Spacey e Robin Wright em cena na série "House of Cards" Imagem: Divulgação

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

31/10/2018 13h25

Para Frank Pugliese, a presença de Kevin Spacey é sentida na última temporada de "House of Cards". Ao lado da parceira criativa Melissa James Gibson, Pugliese refletiu sobre os temas dos capítulos finais da série em entrevista à "Variety".

Spacey foi demitido de "House of Cards" após o surgimento de denúncias de assédio sexual contra ele, no ano passado. Àquela altura, os roteiros da sexta temporada já estavam prontos, e a produção já havia começado - mas todo o trabalho foi para o lixo, e Pugliese e Gibson tiveram que reescrever os episódios para refletir a saída do protagonista.

"Não importa o que acontecesse, nós íamos explorar Claire como presidente nesta temporada", comentou Pugliese. "Então, sim, Frank Underwood [personagem de Spacey], estivesse em cena ou não, seria parte dessa história. A presença dele é sentida, porque precisa ser sentida. Não havia como evitar isso".

"No ano passado, que terminou com Claire se tornando presidente, já sabíamos que a nossa trama seria sobre quem são os verdadeiros donos da Casa Branca. São os presidentes ou as pessoas por trás deles? Frank renunciou e deixou Claire no seu lugar porque achou que, assim, ele seria o dono da Casa Branca. De certa forma, tirar Frank de cena nos deu a oportunidade de analisar os personagens que tentariam ocupar o seu lugar", continuou.

Nos teasers da sexta temporada, descobrimos que "House of Cards" lida com a saída de Spacey ao revelar que Frank morreu no intervalo entre as temporadas. Assim, com Claire consolidada como presidente, ela passa a ser interpelada por figuras como o casal Annette (Diane Lane) e Bill Shepherd (Greg Kinnear), empresários que querem articular seus interesses na Casa Branca.

"É claro que, no meio destes novos personagens querendo o poder, a presença de Frank seria sentida", completou Gibson. "Eu acho que seria impossível ignorar o fantasma de Frank e a forma como cada personagem lida com o que aconteceu com ele".

"Eu acho que Claire emerge nesta temporada", continuou a co-showrunner. "O tempero secreto de 'House of Cards' é que, no começo, você acha que Frank é o único protagonista. Então, aos poucos, você percebe que a série tem dois protagonistas. Neste final, Claire é uma anti-heroína cheia de camadas, exatamente como Frank".

Pugliese endossou a visão da colega, dizendo que foi interessante escrever uma anti-heroína "após mais ou menos uma década de anti-heróis na TV americana". Com oito episódios, a última temporada de "House of Cards" chega na sexta-feira (2) na Netflix.