Topo

Filmes e séries

Igreja satanista ameaça processar Netflix por uso de imagem em "Sabrina"

Diyah Pera/Netflix
Kiernan Shipka é a protagonista de "O Mundo Sombrio de Sabrina", da Netflix Imagem: Diyah Pera/Netflix

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

30/10/2018 15h30

Em "O Mundo Sombrio de Sabrina", a personagem título passa boa parte da trama contrariando o poderoso Senhor das Trevas, "apelido" da série para o diabo. O que a Netflix provavelmente não esperava era que uma seita satanista de verdade ameaçasse processar a série por usar a estátua de uma de suas divindades.

A estátua de Baphomet, uma figura com cabeça de bode venerada pelos satanistas, aparece em várias cenas nas quais Sabrina (Kiernan Shipka) circula pela escola de magia que é obrigada a frequentar.

Segundo Lucien Graves, líder da seita Satanic Temple, a estátua tem exatamente o mesmo design daquela que se encontra em seu templo em Detroit, nos EUA. Ele ainda diz que a seita tem os direitos autorais da estátua, e que portanto pode processar a Netflix.

Reprodução
Imagem: Reprodução

"Sim, estamos tomando ações legais contra o roubo da nossa propriedade intelectual, protegida por direitos autorais, pela Netflix e sua série 'O Mundo Sombrio de Sabrina'. Eles não podem se apropriar do nosso design para promover o seu patético pânico satânico", escreveu Graves no Twitter.

"Eu estou realmente impressionado com as pessoas me perguntando porque tomaríamos atitudes legais contra a Netflix", completou mais tarde. "Vocês teriam a mesma atitude se uma obra de ficção usasse uma mesquita real como o quartel-general de uma organização terrorista?".

Graves explicou, em declarações para sites como o "The Wrap" e o "SFGate", que por enquanto apenas pediu para seus advogados enviarem uma carta para o serviço de streaming, pedindo a remoção das cenas que mostrem a estátua.

"A série é muito problemática para nós [satanistas], mas mesmo que não fosse, eu me veria na obrigação de tomar atitudes legais contra a Netflix. Nós temos os direitos autorais da estátua. Se não processarmos agora, ficamos fracos e expostos a roubos no futuro", comentou.