PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

No "Bial", Ai Weiwei afirma que "qualquer mercado é melhor do que museus"

Cena do filme "Human Flow: Não Existe Lar se Não Há para onde Ir", de Ai Weiwei - Divulgação
Cena do filme "Human Flow: Não Existe Lar se Não Há para onde Ir", de Ai Weiwei Imagem: Divulgação

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

18/10/2018 15h28

O artista e ativista político Ai Weiwei é o convidado do "Conversa Com Bial" desta quinta-feira (18). Um dos nomes mais importantes da arte contemporânea, o chinês afirma que não é um verdadeiro amante de museus. 

"Qualquer mercado é melhor do que museus", analisa o arista durante o programa. "Lá, você realmente vê como as pessoas são, pode aprender sobre o passado, conhecer objetos relacionados à vida particular das pessoas... Eu amo mercados!”.

Ainda sobre o tema, Ai Weiwei aponta que “crianças não gostam de ir a museus, é como uma punição para elas”.

O chinês foi um dos responsáveis pela construção do Ninho do Pássaro (Estádio Nacional de Pequim) para celebrar as Olimpíadas de 2010, mas ganhou fama internacional pelo ativismo contra as autoridades de seu país. Em 2011, Weiwei foi preso e teve seu estúdio invadido por 40 policiais, que confiscaram dezenas de obras e interrogaram os funcionários do artista.

O "Conversa Com Bial" vai ao ar após o "Jornal da Globo".

Entretenimento