PUBLICIDADE
Topo

Jamie Lee Curtis se isolou do mundo para encarnar Laurie em "Halloween"

Jamie Lee Curtis retorna ao papel de Laurie Strode em "Halloween" - Divulgação
Jamie Lee Curtis retorna ao papel de Laurie Strode em "Halloween"
Imagem: Divulgação

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

18/10/2018 10h39

Retornando ao papel que definiu sua carreira em "Halloween", Jamie Lee Curtis precisou de intensa preparação para encarnar uma versão traumatizada de Laurie Strode. Em entrevista à "Rolling Stone", a atriz conta que se isolou dos colegas de elenco e equipe durante as filmagens.

"Eu ia dirigindo para todo lugar sozinha. Eu morei sozinha. Eu estava realmente solitária, não conhecia ninguém. Eu estava fazendo trabalho emocional e físico. Estava machucada. Fiquei triste o tempo todo", diz a atriz. "Eu poderia começar a chorar aqui e agora - meus sentimentos continuam muito crus. Eu estava contando a história dessa mulher, e fiquei triste porque a vida dela é triste".

No novo "Halloween", reencontramos Laurie quarenta anos depois dos eventos do filme clássico de John Carpenter. Ela é uma mulher traumatizada que passou as últimas quatro décadas se preparando para o reencontro com seu Bicho-Papão pessoal, o assassino em série Michael Myers.

Curtis, que conhece a personagem mais do que ninguém ("Eu me lembro de cada palavra que ela falou, mesmo 40 anos depois", define), deu pitacos no roteiro.

"David [Gordon Green, diretor e corroteirista] queria que ela fosse meio desorganizada. Na primeira versão do roteiro, Laurie tinha louças empilhadas na pia quando entrávamos em sua casa. Eu disse para ele que, se essa é mesmo uma mulher que tem se preparado por tanto tempo, ela não teria louça para lavar. Ela dormiria com uma faca do lado da cama, e deixaria tudo arrumado para que nada estivesse em seu caminho", conta.

Conectar-se com a experiência traumática da personagem, no entanto, não foi difícil para Curtis. "Eu não precisei ler nenhum livro. Todos nós temos traumas. Quando as pessoas passam por traumas, elas ficam congeladas em um momento, emocionalmente presas onde elas estavam quando o trauma ocorreu", diz.

A estrela também comemora a decisão de não conectar o novo "Halloween" à mitologia das sequências, se posicionando ao invés disso como uma continuação direta do clássico de 1978. Dessa forma, Michael Myers ainda não foi definido como o irmão de Laurie Strode, não é controlado por um culto nefasto e não tem poderes sobrenaturais.

"Graças a Deus! Os dois únicos pontos que precisavam ser ligados eram esses: o que aconteceu com Laurie Strode em 1978 e o que vai acontecer com ela em 2018", comenta. "Eu acho que essa era a melhor forma de contar essa história. Se tentássemos fazer de outro jeito, seria uma bagunça".

"Halloween" chega aos cinemas brasileiros em 25 de outubro.